Carregando...
COB

COB elege mais quatro nomes para integrar o Hall da Fama em 2024

Afrânio Costa (tiro esportivo), Daiane dos Santos (ginástica), Edinanci Silva (judô) e Gustavo Kuerten (tênis) foram escolhidos pela Comissão Avaliadora da entidade

COB elege mais quatro nomes para integrar o Hall da Fama em 2024
Foto: Divulgação COB

O Hall da Fama do Comitê Olímpico do Brasil (COB) terá mais quatro grandes nomes do esporte nacional. Afrânio Costa (tiro esportivo), Daiane dos Santos (ginástica), Edinanci Silva (judô) e Gustavo Kuerten (tênis) foram escolhidos para integrar a turma de 2024, após reunião da Comissão Avaliadora, realizada nesta terça-feira, 27, em reconhecimento às suas respectivas trajetórias, representatividade e feitos históricos para o país.

“É sempre uma satisfação para nós reverenciarmos quem marcou e fez história no esporte olímpico brasileiro. Todos os quatro nomes escolhidos pela Comissão representam um legado de atletas que encheram o país de conquistas, inspiraram uma geração e agora ficarão eternizados na memória do Movimento Olímpico nacional”, disse Paulo Wanderley, Presidente do COB. 

Comissão Avaliadora em reunião para eleger os novos nomes do Hall da Fama 2024. Foto: Camila Dantas / COB

Lançado em 2018 para exaltar e enaltecer a história olímpica brasileira, o Hall da Fama do COB já homenageou 35 personalidades do esporte nacional. Os primeiros atletas a deixarem suas marcas eternizadas foram Torben Grael (vela), a dupla Sandra Pires e Jackie Silva (vôlei de praia) e Vanderlei Cordeiro de Lima (atletismo). Em 2023 foram condecorados mais oito grandes nomes: Manoel dos Santos (natação), Marcelo Ferreira (vela), Melânia Luz (homenagem póstuma - atletismo), Renan Dal Zotto (vôlei), Ricardo Prado (natação), Walter Carmona (judô), Yane Marques (pentatlo moderno) e Zagallo (futebol).

Os novos membros deste ano também serão agraciados em uma cerimônia especial, ainda sem data definida, na qual deixarão seus pés ou mãos eternizadas em moldes que serão exibidos em uma futura exposição no Centro de Treinamento do COB. No caso de Afrânio Costa, que faleceu em 1979, um familiar do atirador irá receber a homenagem. Além disso, toda a vida e obra dos homenageados estarão disponíveis na página do Hall da Fama digital, no site do COB. O espaço contempla biografia completa, vídeos, fotos, páginas de jornal com seus feitos e um espaço para que os fãs do esporte deixem recados.

Biografia dos homenageados 

Afrânio Costa (tiro esportivo)

Afrânio Costa nasceu em Macaé (RJ) e foi o responsável por conquistar a primeira medalha brasileira na história dos Jogos Olímpicos: prata na prova de pistola livre, em 1920. Também conquistou o bronze por equipes. Advogado e diretor de tiro esportivo do Fluminense, Afrânio ajudou a construir o primeiro estande para os atletas no clube. Foi justamente nas Laranjeiras que a equipe brasileira se preparou para sua estreia em Jogos Olímpicos. O atirador foi também o chefe da delegação de tiro na Antuérpia, sendo o responsável por pedir equipamentos emprestados aos americanos, já que os brasileiros tiveram os seus materiais roubados.

Daiane dos Santos (ginástica artística)

Primeira campeã mundial da ginástica artística brasileira, em Anaheim 2003, Daiane dos Santos sempre teve o solo como especialidade. Foi neste aparelho que a gaúcha se tornou um dos principais nomes da modalidade no início do século 21. Em parceria com o treinador ucraniano Oleg Ostapenko, Daiane criou dois movimentos que foram eternizados pela Federação Internacional de Ginástica (FIG) e hoje levam o seu nome: o duplo twist carpado (Dos Santos I) e o duplo twist esticado (Dos Santos II). Somando suas participações nos Jogos Pan-americanos Winnipeg 1999, Santo Domingo 2003 e Rio 2007, a ginasta possui cinco medalhas: duas de prata e três de bronze. 

Edinanci Silva (judô)

Edinanci Silva é uma judoca da Paraíba que se tornou a primeira mulher a disputar 4 edições dos Jogos Olímpicos. Entre seus maiores feitos no esporte, destacam-se a participação em Atlanta 1996, Sydney 2000 (7º lugar), Atenas 2004 (7º lugar) e Pequim 2008 (5º lugar), além da classificação nos Campeonatos Mundiais Paris 1997 (bronze) e Osaka 2003 (bronze), nos Jogos Pan-americanos de Winnipeg 1999 (bronze), Santo Domingo 2003 (ouro) e Rio de Janeiro de 2007 (ouro).  

Gustavo Kuerten (tênis)

O catarinense Gustavo Kuerten, o Guga, teve seu auge no final da década de 1990 e no início dos anos 2000, quando veio o segundo título de Roland Garros e, com ele, a conquista do topo do ranking da ATP. Foi a primeira vez em que um tenista sul-americano conquistou tal honraria no esporte. Condecorado com posição no Hall da Fama da Associação de Tenistas Profissionais, é tricampeão de Roland-Garros. Ao fim de seus quase 20 anos de carreira, Guga somou 28 títulos, sendo 20 individuais e 8 em duplas. Além disso, ficou 43 semanas na primeira posição do ranking da ATP, sendo, oficialmente, o maior tenista do mundo. 

Outras notícias + Lista completa