Carregando...
Time Brasil

Gabriel Boza termina em quarto no Mundial Sub-20 de Atletismo, em Nairóbi

Paranaense de 18 anos marcou 7,83m no salto em distância apesar de ter sua participação comprometida por câimbras; ele entrou na competição com a terceira melhor marca entre os inscritos

Gabriel Boza termina em quarto no Mundial Sub-20 de Atletismo, em Nairóbi
Wagner Carmo/CBAt

O paranaense Gabriel Luiz Boza ficou muito perto do pódio nesta sexta-feira, 20, na prova do salto em distância do Campeonato Mundial de Atletismo Sub-20, no Estádio Kasarani, em Nairóbi, no Quênia. Ele terminou em quarto lugar, com 7,83 m (0.8), mesmo sentindo câimbras nas panturrilhas, o que prejudicou sua participação, já que teve de abandonar a competição, teve dificuldades no quarto salto e não fez as suas duas últimas tentativas na final.

O brasileiro de 18 anos, orientado por Cremilson Julião Rodrigues, entrou na competição com a terceira melhor marca entre os inscritos (7,90 m). Queimou o primeiro salto e conseguiu 7,83 m no segundo, quando assumiu a vice-liderança da prova. A partir daí, a situação se complicou com as câimbras.

Nascido em São José dos Pinhais, Gabriel defende a equipe da APA, de Presidente Prudente (SP). Ele tem 7,90 m (1.4) como recorde pessoal, marca obtida no dia 1º de maio, em Cascavel (PR). Foi quarto colocado no Troféu Brasil e vice-campeão sul-americano sub-20 em Lima, no Peru.

+ SAUDADES DE TÓQUIO: Reveja o bronze de Alison dos Santos

O francês Erwan Konate conquistou a medalha de ouro, com 8,12 m (0.4), melhor marca do Ranking Mundial da categoria em 2021. O colombiano Jhon Andrés Berrio, campeão sul-americano sub-20 em Lima, no Peru, confirmou a boa fase e ficou com a prata, com 7,97 m (-0.4), recorde pessoal. O jamaicano Kavian Kerr levou o bronze, com 7,90 m (0.9), recorde pessoal.

Na qualificação do salto em distância feminino, a mato-grossense Lissandra Maysa Campos saltou 6,36 m (0.0) e garantiu participação na final deste domingo (22/8), a partir das 10:25 no horário de Brasília. Depois de queimar a primeira tentativa, a atleta de 19 anos superou a marca de classificação de 6,35 m e nem precisou fazer o terceiro salto. Ela terminou em segundo lugar no grupo A e em terceiro na classificação geral.

“Foi uma qualificação tranquila. Meu objetivo era fazer a marca da qualificação, foi bem suave, e agora é ir com tudo para a final”, disse a atleta do Instituto Vicente Lenilson (MT), que treina com Maria Aparecida Souza de Lima, a Cida, em Cuiabá. “Domingo quero fazer minha melhor marca e superar meus limites”, completou Lissandra, que tem 6,45 m como recorde pessoal.

“O salto de 6,36 m da Lissandra poderia ter sido de 6,70 m se ela pegasse a tábua”, comentou Cida, que é a treinadora-chefe em Nairóbi. “Ela está bem e estamos bem confiantes para a final”, concluiu a técnica, atleta olímpica do salto triplo nos Jogos de Atlanta-1996.

A paulistana Giovana Corradi não se classificou no grupo B. Ela saltou 6,00 m (0.3), terminando em oitavo lugar no grupo e em 15º no geral. Shaili Singh, da Índia, obteve a melhor marca da fase qualificatória, com 6,40 m (0,7).

Giovana, que havia qualificado nas primeiras provas do dia para as semifinais dos 100 m com barreiras, acabou não competindo. “Ela passou mal, depois do almoço. Ficou muito desidratada e não conseguiu entrar na prova”, explicou Cida. Nas eliminatórias, a paulistana ficou em terceiro lugar na série 4, com 13.95, seu recorde pessoal. Já a catarinense Daniele Campigotto não passou para a semifinal. Ela ficou em quinto lugar na série 5, com 14.49 (0.2).

Na semifinal dos 110 m com barreiras, o mineiro Rian Pereira Coutinho terminou em sétimo lugar na série 1 e em 10º no geral, com 13.78 (0.1), ficando fora da final. Nas eliminatórias, Rian ficou na segunda colocação da série 2, com 13.71 (1.0).

O Brasil sofreu uma baixa de última hora na prova. O paulista Fabrício Júlio Pereira teve uma entorse no joelho na última barreira do último tiro do último treino, contou o treinador Luiz Gustavo Consolino. “A lesão afetou ligamento colateral medial. A equipe médica fez tudo que podia, mas não deu tempo de colocá-lo em condições de competir”, disse o treinador.

Nas semifinais dos 200 m, a paranaense Érica Cavalheiro terminou em oitavo lugar na série 1, com 24.54 (0.9). Especialista nos 400 m, ela conseguiu 24.37 (0.4) nas eliminatórias. No masculino, Izaias Alves Sales não avançou às semifinais, terminando a série 2 na sétima colocação, com 21.52 (0.0).

Neste sábado (21/8), mais brasileiros entram na pista do Estádio Kasarani. O revezamento masculino 4x400 m disputa as eliminatórias, na série 2, a partir das 6:06 no horário de Brasília. Izaias Alves Sales, João Henrrique Barros, Gabriel Alves dos Santos e Vinicius Moura Galeno buscam vaga para a final de domingo.

Gabriel Alves dos Santos disputa ainda as semifinais dos 400 m com barreiras na série 3, às 9:18, enquanto Leonardo Santos de Jesus corre na série 1 das semifinais dos 800 m, a partir das 9:30 – sempre no horário de Brasília.


Fonte: CBAt
Outras notícias + Lista completa