Carregando...
Cali 2021

Diogo Paes conquista ouro na barra fixa, e ginástica artística encerra sua participação com oito medalhas

Time Brasil se destaca ainda no vôlei e no boxe masculino, garantindo mais quatro finais

Diogo Paes conquista ouro na barra fixa, e ginástica artística encerra sua participação com oito medalhas
Ricardo Bufolin/Panamerica Press

Foi com emoção até a última prova, mas enfim saiu a tão esperada medalha de ouro da ginástica artística em Cali 2021. Mantendo a tradição brasileira na barra fixa, Diogo Paes somou 12.866 e conquistou sua terceira medalha nos Jogos Pan-americanos Júnior – foi ainda prata por equipe e bronze nas paralelas. 

“Você passa a competição inteira ouvindo outros hinos e, quando chega a sua vez, pensa: ‘que bom que aconteceu’. Estava esperando muito por isso, mas achava que fosse terminar em segundo ou terceiro, já que tive alguns erros. No fim, deu tudo certo”, disse Diogo, 18 anos, atleta do Pinheiros (SP).

Diogo liderou a seleção brasileira de ginástica artística, que deixa Cali com oito pódios: teve ainda a prata da equipe feminina e de Yuri Monteverde nas paralelas; e os bronzes de Andreza Lima na trave e no salto e de Gustavo Pereira, no cavalo com alças.

+ SANTIAGO 2023: saiba quais provas distribuem vagas para o Pan adulto

Outros destaques do dia

Após conquistar três medalhas no Mundial sub-17 de levantamento de pesos, Taiane Justino voltou a subir no pódio em uma competição internacional: bronze na categoria acima de 87kg, ao somar 220kg (98kg no arranco + 122 no arremesso).

O vôlei masculino também já garantiu uma medalha ao superar a Colômbia em sets diretos. O adversário na decisão sai do confronto entre Argentina e México.

Mesma situação de três pugilistas brasileiros, que se classificaram para a final: Pablo Capistrano (57kg), Hebert Bandeira Soares (63kg) e Ricardo Cândido (81kg). Samara Santos (69kg), por sua vez, perdeu na semifinal e ficou com o bronze.

+ MEDALHAS: veja todas as medalhas conquistadas pelo Time Brasil em Cali

Quanto às vagas conquistadas para Santiago 2023, Stephanie Balduccini garantiu seu lugar em mais uma prova: os 50m livre. No masculino, Victor Alcará será um dos representantes brasileiros na prova mais rápida da natação. A modalidade, por sinal, garantiu quatro dos cinco ouros do dia.

Veja abaixo declarações dos atletas brasileiros nesta segunda-feira, 29:

Stephanie Balduccini (natação – 50m livre)
“Foi a melhor marca da vida. Tem um erro aqui e ali, mas vamos aprendendo com os erros e estou bem contente com o tempo e com a medalha.”

Victor Alcará (natação – 50m livre)
“A busca era pelo 21s. Fiz 22s08, foi pertinho de novo. Acertei a transição que tinha errado mais cedo, mas o 21s ainda não veio. Vamos em busca dele”

Fernanda De Goeij (natação – 400m medley)
“Fiquei muito feliz com a medalha de prata. Não foi o meu melhor tempo, mas consegui colocar tudo que tinha na piscina. Já participei de várias competições, mas essa está sendo a mais descontraída. Tem muita gente nova, e sou uma das mais velhas. Vim com a cabeça de dar o meu melhor na água”

João Franck (vôlei – ponta)
"Foi um grande jogo da equipe e acredito que todos jogaram muito bem. A Colômbia tem um time muito qualificado, ainda mais com a força da torcida. No segundo set, eles conseguiram impor o ritmo deles, mas nosso sistema encaixou bem e conseguimos bloquear bastante os atacantes, o que fez a diferença no final do jogo.”

1 de 4
Outras notícias + Lista completa