Carregando...
COB

Carta aberta do COB aos skatistas brasileiros

Carta aberta do COB aos skatistas brasileiros

Caros skatistas, 

A essa altura, todos vocês sabem das repercussões da decisão da World Skate sobre a desfiliação da CBSk. O Comitê Olímpico do Brasil está ciente de que é um acontecimento de grande impacto, principalmente por se tratar de um ano olímpico. 

É um cenário que traz muitas dúvidas. E aqui, nesta carta aberta a vocês, espero trazer uma reflexão do ponto de vista conceitual, de como é a dinâmica que norteia as atuações do COB e de todas as outras entidades do chamado Movimento Olímpico. 

No Movimento Olímpico, cada integrante tem o seu papel definido pela Carta Olímpica, que é a “Constituição” do esporte olímpico. Neste universo, são vocês, Atletas, os protagonistas.  

O Comitê Olímpico Internacional (COI) é a autoridade máxima deste sistema, em termos de gestão. Já os Comitês Olímpicos Nacionais (CONs) são representantes do COI em seus respectivos países. Entre inúmeras outras atribuições, cabe aos CONs garantir a participação de sua delegação nos Jogos Olímpicos, seja através da inscrição propriamente dita, seja por meios que viabilizem a sua preparação olímpica e toda a logística operacional. 

Por sua vez, as Federações Internacionais (FIs) são responsáveis perante o COI por estabelecer as regras de cada esporte, por gerir as competições nos Jogos Olímpicos e organizar os campeonatos mundiais.  Nesta engrenagem, cabe às Federações Internacionais designar a única entidade nacional responsável por administrar o seu esporte nos países filiados ao COI. 

Neste contexto, de acordo com a Carta Olímpica, os Comitês Olímpicos Nacionais têm que seguir a determinação das Federações Internacionais em relação a este ponto. Se não o fizerem, existe o risco de sanções – como, por exemplo, o Brasil não poder ter representações em Jogos Olímpicos e Campeonatos Mundiais nessas modalidades específicas. 

O COB, como parte do Sistema Olímpico, planeja, executa, fomenta e segue as orientações e decisões de várias entidades internacionais: Organização Desportiva Sul-americana, Organização Desportiva Pan-americana, Associação dos Comitês Olímpicos Nacionais, Federações Internacionais, Comitê Olímpico Internacional e a Agência Mundial Antidoping. 

Todas essas entidades têm autonomia em sua respectiva jurisdição, mas sempre em obediência à Carta Olímpica. Portanto, cabe ao COB, assim como às outras entidades esportivas, respeitar estatutos e cumprir as determinações da Carta Olímpica, sempre respeitando o nível hierárquico. 

A prioridade do COB sempre será trabalhar em prol da excelência do esporte olímpico, proporcionando todas as condições para que o atleta possa manter o foco em sua preparação técnico-esportiva, especialmente neste momento tão singular que são os Jogos Olímpicos.  Sempre preservaremos o bem-estar e a saúde física de nossos atletas e sempre estaremos ao seu lado, trabalhando em parceria, por compartilharmos o mesmo sentimento:  amor pelo esporte. 

O COB assegura que a preparação olímpica rumo a Paris 2024 dos atletas, cujos resultados esportivos tanto nos orgulham, não será comprometida. Esse respaldo também se estende a todos os integrantes de suas comissões técnicas. Nós nos comprometemos a dar o nosso melhor.  O talento e determinação de nossos skatistas nos dão a certeza de que compartilharemos momentos de muita emoção no pódio dos Jogos Olímpicos. 


Saudações Olímpicas,

Paulo Wanderley 
Presidente do COB

Outras notícias + Lista completa