Carregando...
COB

Retrospectiva 2023: Ano de conquistas e feitos históricos para o Comitê Olímpico do Brasil

COB celebra evolução nos resultados esportivos e avanços na gestão da entidade

Retrospectiva 2023: Ano de conquistas e feitos históricos para o Comitê Olímpico do Brasil
Foto: Alex Ferro/COB

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) celebrou conquistas memoráveis em 2023. A temporada rendeu mais um recorde de medalhas e feitos históricos para a entidade, sejam em competições, ou por trás dos bastidores esportivos. Os Jogos Pan-americanos de Santiago são a prova disso. No Chile, o Brasil conquistou 205 medalhas, se consolidou em segundo lugar no quadro geral e garantiu 40 vagas para os Jogos Olímpicos Paris 2024. Além disso, os atletas brasileiros conquistaram 20 medalhas em Mundiais ou competições equivalentes de dez diferentes modalidades.

“Este foi um ano em que tivemos muitos motivos para celebrar. A temporada rendeu aos nossos atletas excelentes resultados no alto rendimento e desenvolvimento esportivo, o que demonstra que conseguimos alcançar nossos objetivos. Também avançamos na gestão, em um trabalho realizado sempre em parceria com as Confederações Olímpicas e Pan-americana, assim como na parte administrativa”, disse Paulo Wanderley, Presidente do COB.  

Parte dessas conquistas deve-se às mulheres, que recebem atenção especial da entidade. Neste ano, a Comissão da Mulher do COB realizou o 1º Encontro Aberto, tendo como convidados os representantes das Confederações que atuam no desenvolvimento do esporte feminino nas modalidades olímpicas e pan-americanas. A iniciativa teve o objetivo de estimular a troca de conhecimento e boas práticas, além de promover integração por meio da rede de profissionais envolvidas com a promoção da Mulher no Esporte.  

O COB também publicou em 2023 a sua Política de Equidade de Gênero (PEG). O documento traça 20 diretrizes norteadoras para a entidade, que devem ser colocadas em prática por meio de um plano de trabalho. Os objetivos são promover um ambiente institucional sem discriminação de gênero, fomentar o entendimento comum sobre questões relativas ao tema e boas práticas em prol da equidade, e incentivar e apoiar a promoção da mulher no ambiente de trabalho, bem como em todos os níveis e estruturas do esporte.

Educação e sustentabilidade

O Instituto Olímpico Brasileiro (IOB), área de Educação do COB, atua desde 2009 oferecendo cursos gratuitos para atletas, gestores, treinadores e demais profissionais do esporte. Ao final de 2023, a iniciativa ultrapassou a marca de 38 mil alunos formados, dados que incluem participantes da iniciação ao alto rendimento, de todas as regiões do país. Em 14 anos, já são mais de 450 cursos realizados. Os últimos lançados foram a Comissão de Atletas: voz e representatividade; e Equilibrando o Jogo: igualdade de gênero no esporte.

Outro programa voltado para área de educação do COB é o Transforma, que encerrou a temporada 2023 com atividades em Santos e São Paulo. Somente neste ano foram 8.441 educadores contemplados com ações presenciais, além do curso VOV a distância (Valores Olímpicos para a Vida). Já o número de alunos que participaram das ações, incluindo Esporte Cria, Festivais Transforma e Dia Olímpico, chegou à marca de 9.775 contemplados.

Na área de sustentabilidade, o COB foi um dos finalistas da categoria inovação do IOC Climate Action Awards, prêmio oferecido pelo Comitê Olímpico Internacional devido ao trabalho realizado entre os comitês nacionais.  Em julho, o COB também assinou seu compromisso com o Sports for Nature – S4N (Esporte pela Natureza, em português), tornando-se signatário do tratado e o primeiro comitê das Américas a assumir esse novo acordo.

Aplicação dos recursos

Os pilares de austeridade, meritocracia e transparência são alguns dos pontos que norteiam a gestão do COB nos últimos anos, o que se reflete diretamente no resultado esportivo. Em mais um ano, o Conselho Nacional do Esporte (CNE) aprovou, por unanimidade, o relatório anual de aplicação dos recursos da Lei 13.756, a Lei das Loterias, do Comitê Olímpico do Brasil (COB), referente a 2022.

A aprovação, assim como em anos anteriores, evidencia a transparência e a boa aplicação dos recursos vindos das loterias por parte do Comitê Olímpico do Brasil, algo que sempre é priorizado pela entidade e cobrado pelos membros do CNE.

No ano dos Jogos Olímpicos Paris 2024, o COB vai destinar um valor recorde às modalidades olímpicas. Em 2024, o repasse às Confederações Brasileiras Olímpicas por meio da Lei das Loterias (Lei 13.756) será de R$ 225 milhões. O orçamento recorde de aproximadamente R$ 571 milhões e a descentralização dos recursos foram aprovados por unanimidade na última Assembleia Geral do COB, realizada dia 15 de dezembro, no Rio de Janeiro. Este é o maior valor para investimento nas modalidades desde a criação do mecanismo, em 2001, e representa um aumento de 12% em relação ao ano de 2023 (R$ 201 milhões). 

Outras notícias + Lista completa