Carregando...
Time Brasil

No último dia do Troféu Brasil de Atletismo, Darlan conquista o nono ouro no arremesso de peso

Alexsandro 'Bolt' Melo venceu o salto triplo e foi um dos destaques da competição, que teve vitória do Pinheiros pela quinta vez


Compartilhe
No último dia do Troféu Brasil de Atletismo, Darlan conquista o nono ouro no arremesso de peso
Wagner Carmo/CBAt

 O catarinense Darlan Romani (Pinheiros) conquistou na manhã deste domingo (13/10) a nona vitória consecutiva no arremesso do peso do Troféu Brasil Caixa de Atletismo, disputado desde quinta-feira (10/12), no estádio do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, em São Paulo. A competição deste ano foi totalmente diferente, mas marcou a adaptação aos novos tempos provocados pela pandemia da COVID-19.

Melhor atleta brasileiro nas últimas duas temporadas, Darlan venceu com a marca de 21,11 m, seu melhor resultado da temporada e líder no Ranking Sul-Americano 2020. “Tinha uma expectativa melhor, mas tudo bem. Estou melhorando a cada prova”, comentou o catarinense, candidato a medalha na Olimpíada de Tóquio. “Agora vou conversar com o meu treinador (o cubano Justo Navarro) para definir a programação para o ano que vem”, lembrou Darlan, campeão sul-americano, pan-americano e Mundial Militar.

Welington Silva Morais (Pinheiros) terminou em segundo lugar, com 19,43 m, seguido de William Braido (Orcampi), com 19,23 m.

O paranaense Alexsandro Melo (CT Maranhão) venceu o salto triplo, com 16,48 m (-1.2), a melhor marca da temporada. Campeão também do salto em distância, Bolt, como é conhecido no meio atlético, comemorou o bom desempenho no Troféu Brasil. “Sou o quarto atleta na história a vencer as duas provas na mesma competição”, disse, referindo-se a João Carlos de Oliveira, Jadel Gregório e João Muniz, seus antecessores. “Fiquei muito feliz e, apesar dos pesares causados pela pandemia, continuo buscando objetivos mais altos. Quero permanecer saudável e me preparar da melhor forma possível para a Olimpíada”, completou Bolt, qualificado no salto triplo.

Mateus Daniel de Sá (Pinheiros) garantiu a medalha de prata, com 16,44 m (-0.4), e Jean Cassemiro Rosa (Memorial), com 16,16 m (-0.9).

Nos 1.500m, Thiago André (Balneário Camboriú) foi o vencedor, com 3:39.24. Campeão também dos 800 m, o corredor fluminense queria bater o recorde de Joaquim Cruz na competição (3:37.53). “Saí na frente desde a largada e é muito difícil correr sozinho, ainda mais desgastado pela prova dos 800 m”, disse o recordista sul-americano da prova em pista coberta. “Fui contra o relógio, mas estou feliz com dois ouros.”

Guilherme Kurtz (APA-RS) ficou com a medalha de prata, com 3:46.19, e Leandro Alves Prates (ARPA) levou o bronze, com 3:46.53, ambos recordes pessoais.

Lucas da Silva Carvalho (FECAM/ASSERCAM) surpreendeu ao vencer os 200 m, com 20.40 (1.2). Campeão dos 400 m, Lucas melhorou o recorde pessoal (20.81) e pela primeira vez se classificou para uma final da prova. “Fiz uma prova forte e fiquei surpreso também. Não esperava baixar tanto o meu tempo”, disse Lucas, que garantiu a vitória na linha de chegada e a liderança no Ranking Sul-Americano de 2020.

Aldemir Gomes Junior (Pinheiros), pentacampeão dos 200 m, ficou com a medalha de prata, com 20.41, seguido de Paulo André Camilo de Oliveira (Pinheiros), com 20.52.

Na prova feminina, Ana Carolina de Azevedo (Orcampi), que havia perdido os 100 m por milésimos de segundo, garantiu o primeiro título individual do Troféu Brasil, com 23.01 (0.0). “Estou feliz porque adoro os 200 m e só tinha sido segundo e terceiro. Gostei da prova e agora vou para o Campeonato Brasileiro Sub-23”, lembrou, referindo-se à competição que será disputada quinta (17/12) e sexta-feira (18/12), em Bragança Paulista (SP).

Vitória Rosa (Pinheiros), campeã dos 100 m, foi a vice-campeã, com 23.06, e Gabriela Silva Mourão (Futuro Olímpico Arnaldo de Oliveira), ficou em terceiro lugar, com 23.73.

Nos 5.000 m, Jenifer do Nascimento Silva (Pinheiros) conquistou o tricampeonato da competição, com 16:16.78. Já Tatiane Raquel da Silva (IPEC) ganhou a sua terceira medalha no Troféu Brasil. Ouro nos 3.000 m com obstáculos e 1.500 m, ela levou a prata, com 16:33.77. Simone Ponte Ferraz (APA-SC) ficou com o bronze, com 16:41.61.

Outros Resultados do último dia 

Outros campeões do último dia de provas do Troféu Brasil, que reuniu 770 atletas nos quatro dias de competição: 35.000 m marcha atlética - Viviane Santana Lyra (AEFV), com 3:17:35.63, e Rudney Dias Nogueira (USIPA), com 3:00:33.67; 400 m com barreiras - Artur Terezan (AABLU), com 50.23, e Bianca Cristina dos Santos, com 57,44; Lançamento do dardo - Luiz Mauricio Dias da Silva (UFJF), com 76,10 m; Salto em distância - Eliane Martins (Pinheiros), com 6,42 m (0.8); Revezamentos 4x400 – no feminino – Pinheiros, com 3:38.10, e no masculino – Pinheiros, com 3:08.15.

Por causa dos protocolos sanitários, criados em função da pandemia da COVID-19, não foi permitida a presença do público no estádio. Além disso, diversos outros protocolos de saúde foram tomados como o uso obrigatório de máscaras, a disponibilização de álcool em gel, e o distanciamento na câmara de chamada e no pódio, por exemplo.

Pinheiros conquista pentacampeonato

O Esporte Clube Pinheiros confirmou seu favoritismo e conquistou na manhã deste domingo (13/12) o pentacampeonato do Troféu Brasil Caixa de Atletismo, no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, em São Paulo. A equipe venceu na classificação geral, com 511.5 pontos, no masculino, com 214, e no feminino, com 297,5 pontos.

A Orcampi, de Campinas, que havia sido campeã brasileira recentemente sub-18 e sub-20, comemorou o vice-campeonato, com 211 pontos, sendo também segunda colocada no feminino (115) e terceira no masculino (96).

Fonte: CBAt


Outras notícias + Lista completa
Patrocinadores Olímpicos Mundiais
Patrocinadores Oficiais
Apoiadores Oficiais
Parceiros Oficiais
Fornecedores Oficiais
Recursos das Loterias Federais