Carregando...
Assunção 2022

Meu Sula: Natália Falavigna relembra importância da competição continental ao longo da carreira

Medalhista olímpica do taekwondo foi bicampeã nas edições de 2002 e 2006 e prata em 2014

Meu Sula: Natália Falavigna relembra importância da competição continental ao longo da carreira
Natália Falavigna no pódio dos Jogos Sul-americanos Buenos Aires 2006. Foto: Arquivo pessoal

A ex-atleta de taekwondo Natália Falavigna tem uma relação bem próxima com os Jogos Sul-americanos. Participante de três edições da competição continental e três vezes medalhista, tendo dois ouros e uma prata, a paranaense colocou a memória para funcionar e relembrar momentos marcantes dos Jogos. Tudo isso ela conta no segundo episódio da série do Canal Olímpico do Brasil “Meu Sula”, que traz histórias brasileiras da principal competição multimodalidades da América do Sul num esquenta para os Jogos Sul-americanos Assunção 2022.

Natália competiu nos Jogos Sul-Americanos Rio 2002, Buenos Aires 2006 e Santiago 2014. Foi ouro nos dois primeiros e prata no último, com todas as conquistas na categoria  67kg+ do taekwondo. E em todos os três ela viveu um momento marcante para a carreira.

“Eu participei de três edições em três momentos distintos da carreira: no meu começo, no ápice e no encerramento. E em cada um eu consigo enxergar uma diferença, uma construção. No primeiro cheguei nova, sem conhecer ninguém. No último, já experiente, conhecia todos e toda a estrutura do Time Brasil”, pontuou.

A participação de Natália nos Jogos Sul-Americanos Rio 2002, por exemplo, marcou a primeira competição da atleta defendendo o Time Brasil. E esse marco na carreira fez a hoje gestora esportiva reforçar a importância da competição continental.

"Os Jogos Sul-Americanos são o primeiro degrau de uma construção olímpica e um evento que pode até ser de menor tamanho, mas é ali que você começa a entender o que é a construção do Time Brasil. Para muitos é a primeira vez, a primeira experiência com o time. Eu sempre encarei com muita responsabilidade e acredito que os atletas encaram com essa seriedade. Eles sabem a responsabilidade e quando vestem o uniforme do Time Brasil querem levar o país ao primeiro lugar", reforçou.

As histórias de Natália Falavigna nos Jogos Sul-Americanos compõem o segundo episódio da série “Meu Sula”, em que referências do esporte brasileiro relembram momentos marcantes na competição continental. O primeiro episódio foi com o ex-judoca Flávio Canto, campeão das edições de Cuenca 1998 e Rio 2002.

Outras notícias + Lista completa