Carregando...
Jogos Escolares

Escola indígena de Tocantinópolis encara desafio no futsal feminino dos Jogos Escolares da Juventude

Povo Apinajé busca vaga para Blumenau 2019. Equipe de futsal de Bragança (PA) tenta o bicampeonato no futsal masculino 12 a 14 anos


11/09/2019 12:16:00
Compartilhe
Escola indígena de Tocantinópolis encara desafio no futsal feminino dos Jogos Escolares da Juventude
Wander Roberto/ COB

O futsal da etapa Regional Verde dos Jogos Escolares da Juventude tem alguns ingredientes especiais para a torcida lotar os três ginásios que recebem a competição em Palmas (TO). O primeiro é a participação da Escola Estadual Indígena Matyk, de Tocantinópolis, que vai representar o estado no futsal feminino 12 a 14 anos.

A instituição possui 450 alunos matriculados nos ensinos fundamentais 1 e 2 e no ensino médio e fica dentro da Aldeia São José, na área indígena Apinajé, povo que se localiza entre a margem esquerda do rio Tocantins e a margem direita do rio Araguaia. O futsal será disputado no Ginásio Ayrton Senna, na Escola Almirante Tamandaré e na Escola Caroline Campelo, com entrada franca ao público.

O Acre possui quatro equipes inscritas na disputa pelas vagas para a edição 2019 dos Jogos Escolares da Juventude, etapa nacional, que acontecem de 16 a 30 de novembro, em Blumenau (SC). Três delas são do futsal e todas de Rio Branco (AC). O Colégio Tiradentes conquistou o título estadual no masculino, para atletas de 12 a 14 anos. Já o tradicional Colégio Acreano, a instituição de ensino mais antiga da capital do estado, vai defender as suas cores nas duas categorias juvenis (15 a 17 anos, masculino e feminino).

Na categoria 12 a 14 anos, masculino, o Pará será representado pelo Centro Educacional João Paulo II, do técnico Kelson Lima Barbosa, o mesmo que levou a instituição ao título no regional do ano passado, disputado em Manaus (AM). A cidade inteira da cidade de Bragança comemorou a conquista histórica. No alto do carro dos Bombeiros, os campeões foram saudados pelas principais ruas da cidade.

Kelson, de 28 anos, disputou os Jogos Escolares da Juventude quando tinha apenas 15, em Brasília 2006, e atuou em algumas equipes da Liga Nacional, com destaque para o Atlântico Erechim, uma das maiores equipes do futsal brasileiro.

“Infelizmente minha carreira como atleta durou pouco por causa das lesões. Uma coisa que eu falo para os meus alunos é nunca abandonar os estudos e eu sirvo como exemplo disso. Sou formado em Educação física, licenciatura, e enfatizo aos meus atletas a importância dos estudos, não adianta ser somente um excelente atleta. Primeiro trabalho com todos para serem ótimas pessoas, com caráter e responsabilidade”, afirmou Kelson.

O Colégio João Paulo II é particular e tem um projeto com crianças carentes, além de disponibilizar bolsas de estudo para os principais talentos esportivos da cidade. As equipes paraenses de futsal costumam revelar grandes talentos para o futebol brasileiro. Entre os destaques que já participaram dos Jogos Escolares defendendo a Escola Madre Celeste Marambaia estão Yago Pikachu, atualmente no Vasco da Gama e que conquistou a medalha de prata na maior competição escolar do país, em 2009, e Mayara Moreira, hoje com 24 anos. 

Mayara tem duas medalhas de ouro dos Jogos Escolares no currículo. A atleta já defendeu a seleção brasileira em Campeonatos Mundiais Sub-17 e Sub-20 e atualmente joga pelo Iranduba. Na decisão dos Jogos Escolares de 2009, em Poços de Caldas, Mayara marcou os quatro gols na vitória por 4 x 2 sobre o Colégio Progresso, de São Paulo, e pouco após a partida foi desfilar o seu talento nos campos de futebol.

Os Jogos Escolares da Juventude são organizados e realizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), com patrocínio da Coca-Cola, parceria da Ajinomoto e do Grupo Globo, e apoio da Prefeitura Municipal de Palmas.


Outras notícias + Lista completa
Patrocinadores Olímpicos Mundiais
Patrocinadores Oficiais
Apoiadores Oficiais
Parceiros Oficiais
Fornecedores Oficiais