Carregando...
Jogos Escolares

Dobradinha nas provas de velocidade: Pamela Nievilly se destaca nos Jogos Escolares da Juventude

Dois recordes da competição 12 a 14 anos foram batidos: Ângelo Miguel (ES), nos 75m, e Bryan Nikson (SC), nos 1000m


Compartilhe
Dobradinha nas provas de velocidade: Pamela Nievilly se destaca nos Jogos Escolares da Juventude
William Lucas/Inovafoto/COB

Aos 13 anos, a pernambucana Pamela Nievilly foi a atleta mais rápida dos Jogos Escolares da Juventude Blumenau 2019. Aluna da Escola Brigadeiro Eduardo Gomes, de Recife (PE), a velocista venceu os 75m rasos (9s74) e os 80m com barreiras (11s77), sua prova favorita, ficando a apenas seis centésimos do recorde do campeonato, que pertence à mineira Julia Victoria Gonçalves (11s71).

“Fui prata no ano passado, atrás da Julia, mas nesse ano conquistei o ouro. É isso aí, Pernambuco sempre no topo”, disse Pamela, aos prantos, logo após a prova realizada na nova pista de Timbó (SC).

Com o velocista Paulo André Camilo na arquibancada – o Embaixador dos Jogos Escolares da Juventude ainda se revezou com outras três feras do atletismo nacional, os marchadores olímpicos Sergio Galdino, José Alessandro Baggio e Alessandra Picagevicz, na cerimônia de premiação –, Ângelo Miguel Thomaz, do Espírito Santo, fez 8s59 no 75m masculino, estabelecendo o novo recorde da competição, que era de 8s66.

Ângelo também foi campeão dos 250m rasos, com 28s97 e ajudou a equipe capixaba a levar o bronze no revezamento 4x75m. “Foi uma competição inesquecível. Vou guardar para sempre na memória”.

O segundo recorde da competição foi conquistado pelo catarinense Bryan Nikson Alves, da Escola Básica Arnaldo Brandão, de Itajaí (SC). Ele venceu os 1000m com 2min38s99, superando o tempo de Marcelo Augusto, de Fortaleza 2015 (2min40s09).

No salto em altura masculino, cuja final registrou melhores marcas pessoais de todos os competidores, o ouro ficou com Cledson Rodrigues Nurnberg, da Escola São Ludgero (SC), da cidade de mesmo nome. Cledson tinha 1,65m e superou seus limites em 12 centímetros, vencendo com 1,77m. O detalhe é que o jovem ainda exibiu uma pintura no braço, feita pelas atletas de futsal da aldeia Guarani-Kaiowá. “Elas me disseram que dava sorte e deu mesmo”, disse o jovem atleta, que treina no carvão. “Pratico o atletismo na escola mesmo. Só nas competições é que tenho chance de saltar num piso sintético."

De Rondônia veio a primeira campeã da Região Norte nos Jogos Escolares da Juventude. Alinny Vitória de Oliveira, da Escola Tancredo Neves, de Ji-Paraná (RO) venceu o tetratlo com 2.287 pontos. Rondônia tinha apenas uma medalha na competição: prata no judô. “Gosto mais das provas de velocidade, mas tenho facilidade para competir em várias modalidades e meu professor me inscreveu no tetratlo."

Nadadora é vice-campeã no atletismo

Com os pais e a irmã gêmea na arquibancada, a jovem Helena Valério, da Escola Pinhais (PR), conquistou a medalha de ouro nos 1000m (3min06s81). Mas o destaque foi a medalhista de prata, Lais Gasparini e Silva, da Escola São Domingos, de Vitória (ES), que é nadadora de origem.

“Liderava a prova até o finzinho, quando fui ultrapassada. Foi uma prova muito emocionante, com a torcida gritando bastante. Mas a medalha já foi uma surpresa porque sou nadadora. Acredito que tenho muitas chances de subir no pódio nas competições que começam nesta quarta (27 de novembro, no Sesi)”, contou Lais, que segue os passos da medalhista pan-americana do triatlo, a também capixaba Pâmella Oliveira.

Os Jogos Escolares da Juventude são uma realização do Comitê Olímpico do Brasil (COB), com o apoio da Prefeitura de Blumenau e do Governo do Estado de Santa Catarina, por meio da Fundação Catarinense de Esporte (Fesporte).