Carregando...
Jogos da Juventude

De aspirante a Marta a orgulho de Pernambuco, Kawani Sofia celebra ouro no ciclismo e vira chave para o triatlo

Atleta de 15 anos vence a prova de resistência e encerra a participação na modalidade em Ribeirão Preto 2023 com três medalhas, antes de focar em seu segundo desafio

De aspirante a Marta a orgulho de Pernambuco, Kawani Sofia celebra ouro no ciclismo e vira chave para o triatlo
Luiza Moraes/COB

O esporte proporciona a cada dia emoções novas na vida de Kawani Sofia, de 15 anos. Em uma disputa acirrada, a atleta que um dia sonhou em ser uma nova Marta nos campos de futebol pelo Brasil deixou favoritas para trás e conquistou nesta segunda-feira (4) o ouro na prova de resistência do ciclismo de estrada dos Jogos da Juventude Ribeirão Preto 2023. Pensa que acabou? Essa foi só a primeira rodada de desafios. Ela está também inscrita para as provas do triatlo.

"Na verdade, tudo começou no futebol. Sou torcedora do Sport Club do Recife e queria ser uma Marta. Ela sempre será uma referência para mim, assim como a Formiga, e tem um lugar no meu coração para esse esporte. Depois eu fui para a natação, porque meu irmão tinha asma e minha mãe tinha muito medo que eu tivesse. Então, ela queria que todos nós nadássemos, pois ajuda a melhorar. Mas eu conheci o ciclismo e, em 2019, justamente nos Jogos da Juventude em Blumenau, consegui três medalhas. Foi aí que a minha paixão pela bicicleta falou mais alto e está durando até hoje", contou Kawani, que sonhava em ser atacante.

Depois de praticar natação no Sport, a pernambucana foi apresentada pela escola à modalidade que combina nado, ciclismo e corrida aos 11 anos. Na época, já pegava ônibus sozinha para manter a rotina de treinamentos. Seu nome acabou indicado para Cisiane Dutra, campeã brasileira de macha atlética e com participação nos Jogos Rio 2016, que hoje se dedica a descobrir talentos no estado de Pernambuco e indicou a menina para um projeto de triatlo. Com três meses de treino, ela foi campeã brasileira na sua categoria.

Aos poucos, os treinadores perceberam um potencial maior na bicicleta e nas corridas, e passaram a direcionar o trabalho, sem deixar a corrida de lado. Hoje, ela se divide entre as provas de ciclismo e triatlo e é uma referência em seu estado.

Em Ribeirão Preto, a jovem saiu com três medalhas na bicicleta. Antes do ouro na resistência, ela havia alcançado o pódio nas provas de velocidade (prata) e de potência máxima (bronze). Mas a pernambucana nascida em Olinda e moradora de Paulista, na região metropolitana de Recife, não esperava ter o seu "dia de famosa" na disputa que é considerada a mais dura do calendário do ciclismo nos Jogos da Juventude.

"Para falar a verdade, eu não estava muito confiante, porque eu sempre tinha as concorrentes em mente e sabia que elas eram um pouco mais fortes por conta da idade, mas se estou aqui é porque mereço. Sou campeã! Na última volta, peguei a esquerda, fiquei atrás um pouco e decidi no sprint. Usei a cabeça. Depois dessa, não sou mais uma menininha bestinha", brincou a campeã, aos risos.

Ao sair da área de competição, ela logo fez uma chamada de vídeo para contar a notícia para Conceição Lima, a Ceça, treinadora que não pôde viajar para Ribeirão Preto. É na casa dela que a jovem fez toda uma parte importante da preparação para alcançar os recentes resultados. Pega dois ônibus para chegar ao destino, mas não desanima.

"No meu dia a dia, eu treino mais no rolo do que na estrada. Eu não tenho sustento, minha mãe não tem carro e poucas vezes alguém pode me levar. Então, eu pego dois ônibus para a casa da professora Ceça e treino no rolo fixo (equipamento utilizado para aquecimento ou treinamento, fixado ao eixo da roda traseira da bicicleta para garantir estabilidade). Acho que isso fez toda a diferença", disse Kawani.

As competições de triatlo nos Jogos da Juventude Ribeirão Preto 2023 serão realizadas na modalidade Super Sprint, com distâncias de 300m de natação, 6km de ciclismo e 1,7km de corrida. O programa compreende disputas individuais por gênero e por equipe mista, entre os dias 6 e 8 de setembro. Mais uma oportunidade para a pernambucana mostrar o seu talento.

"O triatlo é mais cansativo. Estou mais confiante para o ciclismo, que foi o o foco da minha preparação. Mas vou dar o meu melhor e o resultado será consequência. Estou muito feliz de estar aqui, porque os atletas saem dos Jogos da Juventude para grandes eventos nacionais e internacionais, então é um empurrãozinho para irmos mais longe. Meu grande sonho é ir para os Jogos Olímpicos. Todo mundo que está aqui e é campeão quer o mesmo", disse Kawani.

Sergipano aumenta coleção de ouros 

No masculino, não foi surpresa a vitória do sergipano Daniel Lima para quem acompanhou a prova de resistência. O garoto de 17 anos, que já havia sido campeão das disputas de velocidade e por pontos, mostrou que a fase é mesmo boa.