Carregando...
COB

Cursos gratuitos oferecidos pelo Comitê Olímpico do Brasil ultrapassam a marca de 30 mil profissionais capacitados

Iniciativa do Instituto Olímpico Brasileiro tem como objetivo difundir o conhecimento ao promover uma formação profissional de alta qualidade e socioeducativa

Cursos gratuitos oferecidos pelo Comitê Olímpico do Brasil ultrapassam a marca de 30 mil profissionais capacitados
Foto: Míriam Jeske / COB

O Comitê Olímpico do Brasil (COB),  por meio do Instituto Olímpico Brasileiro (IOB), área de Educação da entidade, atua desde 2009 oferecendo cursos gratuitos para atletas, gestores, treinadores e demais profissionais do esporte. Recentemente, a iniciativa superou a marca de 30 mil alunos formados, dados que incluem participantes da iniciação ao alto rendimento, de todas as regiões do país.

Ao longo dos últimos 14 anos, o IOB, que tem o objetivo de formar profissionais através de programas de capacitação e desenvolvimento de alta qualidade, já disponibilizou mais de 450 edições de cursos, os quais foram concluídos por mais de 33 mil pessoas. Só em 2022, por exemplo, 5.914 alunos se formaram, sendo 43% deles mulheres e 57% homens.

“É muito gratificante alcançar a marca de mais de 30 mil profissionais capacitados pelo IOB. Vejo como a consolidação de um trabalho que exige muito esforço, dedicação e planejamento. Havia uma lacuna no que diz respeito à formação ligada ao esporte olímpico e, aos poucos, temos conseguido preenchê-la, sabendo que ainda há muito a ser feito”, afirma Paulo Wanderley, presidente do Comitê Olímpico do Brasil. 

Nomes conhecidos já se formaram nos cursos do IOB. São os casos de Daiane dos Santos, ex-ginasta que conquistou nove medalhas de ouro em mundiais; Poliana Okimoto, primeira nadadora brasileira a conquistar uma medalha olímpica na natação; Yane Marques, medalhista olímpica e presidente da Comissão de Atletas do COB; Hugo Hoyama, 10 vezes campeão sul-americano de tênis de mesa, e os treinadores campeões olímpicos Rosicléia Campos, do judô, e Marcos Goto, da ginástica.

Dentro da proposta do IOB há programas direcionados, de acordo com o perfil de cada público-alvo, como o Programa de Capacitação de Gestores, a Academia Brasileira de Treinadores (ABT) e o Programa de Carreira do Atleta (PCA). 

Existem ainda o Programa Esporte Seguro (PES) e Programa Esporte Seguro para Organizações (PESORG), que visam contribuir para uma cultura de prevenção, reconhecimento, enfrentamento e adoção de boas práticas no ambiente esportivo, conforme a legislação vigente. Nesses cursos são trabalhados temas como violência física, psicológica e de gênero, assédio moral, negligência ou omissão, assédio e abuso sexual no ambiente esportivo, além de doping e manipulação de competições, saúde mental, igualdade de gênero, entre outros.

“Além da formação técnica, também temos uma preocupação com a parte socioeducativa. Dentro do esporte, o praticante ou o professor pode se deparar com situações que se distanciam daquilo que o esporte prega. Se isso acontecer, todos nós precisamos estar preparados para saber o que fazer e como agir. Esse é o objetivo dessa formação, criar uma consciência coletiva sobre a importância da integridade no cenário esportivo”, finaliza Paulo Wanderley.

O IOB ainda atua com outros projetos especiais, oferecendo soluções para os desafios encontrados pelas diversas áreas do COB e pelas Confederações no que diz respeito à educação ou ao desenvolvimento de tecnologias, o que engloba processos, métodos, técnicas e instrumentos.

Informações sobre cursos e vagas disponíveis podem ser encontradas no site https://www.cob.org.br/pt/cob/home/instituto-olimpico-brasileiro/cursos-do-iob


Outras notícias + Lista completa