Carregando...
Pequim 2022

Conheça as principais chances de classificação do Brasil para os Jogos Olímpicos de Inverno Pequim 2022

Saiba o que é necessário para que o país conquiste essas vagas

Conheça as principais chances de classificação do Brasil para os Jogos Olímpicos de Inverno Pequim 2022
COI

O Time Brasil já conta com três vagas asseguradas para os Jogos Olímpicos de Inverno Pequim 2022. Todas no esqui cross country: duas no feminino e uma no masculino. A conquista da quarta vaga do país no evento veio nesta quarta, dia 27, no dia do marco dos 100 dias para o evento, e é no esqui alpino masculino. A busca da classificação em outras modalidades de gelo e neve ainda não acabou. Veja abaixo as principais chances e o que é preciso para conquistar essas vagas.

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE DESPORTOS NA NEVE

ESQUI ALPINO

O Brasil tem uma vaga garantida no masculino, com três atletas elegíveis para essa vaga atualmente: Michel Macedo, Valentino Caputi e Christopher Holm. 

Isabella Springer pode colocar o país novamente nos Jogos no feminino.

O que fazer: O período de classificação está aberto desde a temporada passada, sendo que cada atleta precisa ter os menores pontos possíveis na lista de pontos FIS, que apresenta a média dos cinco melhores resultados em cada disciplina durante o período de classificação. 

O que precisa: Para ser elegível, é preciso ter menos de 160 pontos na lista de pontos FIS para competir nas provas de slalom e slalom gigante, e menos de 80 pontos na lista de pontos FIS para competir no downhill e no Super G em lista da federação internacional que será divulgada em 17 de janeiro.

ESQUI CROSS COUNTRY

O Brasil já tem três vagas asseguradas em Pequim, duas no feminino e uma no masculino. A CBDN definirá quem será convocado de acordo com o desempenho dos atletas em provas realizadas na neve até dia 16 de janeiro. Jaqueline Mourão, Bruna Moura, Eduarda Ribera e Mirlene Picin disputam as vagas no feminino, enquanto Manex Silva, Steve Hiestand e Victor Santos são os principais nomes entre os homens.

O que fazer: O período de classificação está aberto desde a temporada passada. Cada atleta precisa ter os menores pontos possíveis na lista CBDN de pontos FIS, que apresenta a média dos seis melhores resultados de cada atleta nas provas que serão disputadas nos Jogos (distance e sprint, técnicas clássica e livre). 

O que precisa: As vagas já estão garantidas pelo Brasil, os atletas podem melhorar seus pontos até 16 de janeiro 2022, e no dia 17 de janeiro a CBDN anunciará os atletas convocados de acordo com o ranking de pontos. 

ESQUI ESTILO LIVRE

O Brasil tem três atletas em busca de vagas na modalidade. O principal nome é Sabrina Cass, campeã mundial júnior no moguls em 2019. Ela já cumpre os requisitos de elegibilidade e está bem colocada no ranking da Copa do Mundo para conquistar uma vaga. Os irmãos Sebastian e Dominic Bowler buscam a vaga no ski halfpipe. 

O que fazer: A temporada 2021-2022 começa em dezembro e haverá cinco etapas da Copa do Mundo de Moguls e três da Copa do Mundo de Ski Halfpipe antes da data de classificação (16 de janeiro), onde os atletas buscarão somar pontos para confirmar as vagas do Brasil.

O que precisa: Para ser elegível, cada atleta precisa ter pelo menos um resultado Top 30 e 80 pontos FIS (moguls) ou 50 pontos FIS (halfpipe). As vagas são alocadas pelo ranking da Copa do Mundo no dia 17 de janeiro, os países com atletas entre os melhores do ranking (30 no moguls e 25 no halfpipe) receberão vagas. 

SNOWBOARD

O Brasil tem dois atletas jovens na briga por vagas. Augustinho Teixeira, de 16 anos, busca uma vaga no halfpipe, onde ele já tem um resultado Top 30. Já Noah Bethonico, de 17, que disputou os Jogos Olímpicos de Inverno da Juventude Lausanne 2020 busca alcançar uma vaga no snowboard cross.

O que fazer: A temporada 2021-2022 começa em dezembro e haverá quatro eventos da Copa do Mundo de Snowboard Cross e três da Copa do Mundo de Snowboard Halfpipe antes da data de classificação (16 de janeiro), onde os atletas buscarão somar pontos para confirmar as vagas do Brasil.

O que precisa: Para ser elegível, cada atleta precisa ter pelo menos um resultado Top 30 e 100 pontos FIS (snowboard cross) ou 50 pontos FIS (halfpipe). As vagas são alocadas pelo ranking da Copa do Mundo no dia 17 de janeiro, os países com atletas entre os melhores do ranking (32 no snowboard cross e 25 no halfpipe) receberão vagas. 


CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE DESPORTOS NO GELO

BOBSLED

O Brasil disputa vagas no trenó com quatro atletas (4-man) e com dois (2-man) no masculino, e no de uma pessoa (monobob), no feminino. A equipe masculina brasileira é formada por Edson Bindilatti, Edson Martins, Erick Vianna, Rafael Souza, Jefferson Sabino e Luis Henrique Bacca. No feminino, Marina Tuono é quem busca a vaga para Pequim.

O que fazer: A equipe masculina partiu neste mês de outubro para período de treinos nos Estados Unidos. Disputarão, entre novembro e dezembro, a Copa América de Bobsled, que passará por Lake Placid (Estados Unidos), Whistler (Canadá) e Park City (Estados Unidos). Para conseguir a classificação tanto no 4-man quanto no 2-man, é preciso somar pontos na Copa América. No 4-man também é preciso cumprir sete provas em três pistas diferentes. Caso não consiga, considera-se participar de provas na Europa em janeiro. No monobob, Marina Tuono terminou em terceiro no ranking na temporada 2020-2021 e, se mantiver esse ritmo, estará em Pequim.

O que precisa: Das 28 vagas disponíveis no trenó de quatro atletas, oito delas são para países com apenas um conjunto. No trenó de dois, são também 30 vagas, mas são dez as vagas destinadas aos países com apenas um conjunto. No monobob, que estreia em Jogos, são ao todo 20, sendo seis delas para países com atletas que praticam essa prova.

PATINAÇÃO VELOCIDADE

São dois os brasileiros que disputam a classificação: João Vitor da Silva e Larissa Paes. Eles obtiveram os índices necessários para a largada em massa, mas ainda precisam cumprir um tempo mínimo nos 1500m e somar pontos nas Copas do Mundo entre novembro e dezembro para galgar posições no ranking mundial.

O que fazer: A primeira etapa da Copa do Mundo acontecerá na Polônia, entre 12 e 14 de novembro. A segunda, na Noruega, entre 19 e 21 de novembro. A terceira, em Salt Lake City, entre 3 e 5 de dezembro. Finalmente, a quarta etapa da Copa do Mundo, que contará pontos para o ranking pré-Olímpico, acontecerá em Calgary (Canadá), entre 10 e 12 de dezembro.

O que precisa: 166 atletas competirão nos Jogos (83 homens e 83 mulheres). Os países receberão cotas com base nos resultados das etapas da Copa do Mundo. Cada país poderá inscrever no máximo três atletas por gênero para todas as provas, exceto as de 5000m, 10.000m e largadas em massa, para as quais podem inscrever, no máximo, dois atletas.

SKELETON

Nicole Silveira, brasileira residente no Canadá, conseguiu resultados expressivos, ficando em entre as 20 melhores no Mundial da temporada passada. Depois de um período de treinamento na China, parte para a disputa das próximas etapas do circuito mundial, entre novembro de 2021 e janeiro de 2022.

O que fazer: Nicole vai agora disputar a Copa América e a Copa Intercontinental, ambas nos Estados Unidos, a partir de 7 de novembro. Na sequência, vai disputar etapa da Copa do Mundo de Kögnissee, na Alemanha, no começo de dezembro.

Quem se classifica: São 25 vagas Olímpicas, sendo 11 delas para países que possuem apenas uma atleta, que é o caso do Brasil. 

Outras notícias + Lista completa