Carregando...
Time Brasil

Com 3ª maior delegação das Américas, Brasil estará em quatro esportes no 1º dia de competição em Gangwon 2024

Atletas brasileiros competirão no biatlo, curling, patinação velocidade – pista curta e snowboard cross; delegação só é menor que dos Estados Unidos e do Canadá no continente

Com 3ª maior delegação das Américas, Brasil estará em quatro esportes no 1º dia de competição em Gangwon 2024
Marina Ziehe/COB

O Brasil tem a terceira maior delegação das Américas nos Jogos Olímpicos de Inverno da Juventude, atrás apenas de Estados Unidos e Canadá. E isso se reflete na quantidade de eventos simultâneos com brasileiros logo no primeiro dia de Gangwon 2024. Serão nada menos que sete atletas em ação em quatro modalidades - biatlo, curling, patinação velocidade – pista curta e snowboard cross - neste sábado, 20, na Coreia do Sul. A delegação recorde é motivo de orgulho para o Comitê Olímpico do Brasil (COB).

“Nós procuramos sempre evoluir em alguma coisa em relação ao que fizemos anteriormente. Já começamos esses Jogos Olímpicos de Inverno da Juventude com uma boa notícia: superando o recorde em número de atletas na delegação e de modalidades representadas 
nos Jogos de Inverno da JuventudeSaímos de 12 atletas em seis modalidades em Lausanne 2020, para 17 em oito disciplinas aqui em Gangwon. As Confederações Brasileiras de Gelo e Neve têm realizado um trabalho importante de captação e retenção desses jovens atletas nos esportes, bem como conseguido converter o conhecimento adquirido pelos ex-atletas para as novas gerações. Isso é motivo de orgulho para o COB”, disse Rogério Sampaio, diretor-geral do COB, que acompanha a delegação em Gangwon.


O Brasil é a terceira maior delegação das Américas, ficando atrás apenas de Estados Unidos (100 atletas) e Canadá (79). Os dois países da América do Norte também são os únicos que superam o Brasil em termos de modalidades em que o Comitê tem representantes. O Brasil compete em 8 esportes (esqui alpino, biatlo, bobsled, esqui cross country, curling, patinação velocidade - pista curta, skeleton e snowboard). O Chile tem 12 atletas em 5 modalidades apenas. Já o México, o quarto com mais atletas, 13, disputa apenas o hóquei no gelo.

Completam a lista de países das Américas em Gangwon 2024: Argentina com sete atletas em três modalidades (esqui alpino, esqui cross-country, esqui estilo livre); Colômbia com cinco atletas em três modalidades (esqui cross country, skeleton e patinação velocidade); Jamaica com três atletas em duas modalidades (esqui alpino e bobsled); e Porto Rico com um atleta em uma modalidade (luge).

Primeiro dia de competição nos Jogos Olímpicos de Inverno da Juventude Gangwon 2024


O Brasil estará competindo em três dos quatro clusters de Gangwon 2024. Mariana Silva estará a partir do 11h, no horário local (são 12h à frente do horário de Brasília) disputando a prova individual dos 10km do biatlo, modalidade que combina a corrida de esqui e tiro esportivo, no Alpensia Biathlon Centre, na região de Pyeongchang. Os atletas atiram em alvos a 50m de distância, revezando entre as posições deitada e em pé, de duas a quatro vezes por prova. Tiros errados resultam penalidades de voltas extras ou tempo adicional.

No mesmo horário, mas no Welli Hilli Park Ski Resort, na região de Hoengseong, Zion Bethonico estará na largada da prova de snowboard cross. A prova da única modalidade de neve disputada com prancha ao invés de esquis, consiste numa corrida com saltos e curvas. Eles disputam baterias eliminatórias com os primeiros colocados de cada bateria avançando até a final. Em Gangwon 2024, a disputa começa nas quartas-de-final.

Para o chefe da equipe de esportes na neve, Pedro Cavazzoni, Gangwon 2024 é uma grande oportunidade de desenvolvimento dos jovens atletas. “Estamos muito satisfeitos por temos classificado a maior delegação de neve da história e animados com as competições do primeiro dia. Será a nossa 2ª participação no biatlo nos Jogos da Juventude de Inverno e esperamos ter evolução em relação a Lausanne 2020. O atleta Zion Bethonico figura entre os principais atletas do mundo em sua idade e tem potencial para conquistar um resultado inédito para o Brasil no snowboard cross”, analisou.

E também haverá brasileiros em ação na região de Gangneug, onde serão disputadas duas competições das modalidades de gelo em que o Brasil estará representado. No curling, Pedro Ribeiro, Guilherme Melo, Julia Gentile e Rafaela Ladeira tentarão lançar a maior quantidade de pedras possíveis no alvo e mantê-las lá até o final de cada end (período em que cada equipe lança quatro pedras) contra os donos-da-casa, a Coreia do Sul, às 14h no horário local. Os jogos da primeira fase da modalidade vão até o próximo dia 25 e os brasileiros enfrentam ainda o Canadá, país em que todos os integrantes da equipe residem, às 10h e a Dinamarca, às 18h, deste sábado. Na sequência jogam ainda com a Alemanha, a Suíça, a Itália e a Grã-Bretanha. O primeiro do grupo avança direto para a semifinal, enquanto os segundo de um grupo enfrenta o terceiro de outro em busca de mais duas vagas na próxima fase.

A patinação velocidade – pista curta também fará sua estreia pela manhã deste sábado em Gangwon 2024. Lucas Koo, brasileiro com ascendência coreana, disputa a prova dos 1.500m na Ice Arena a partir das 11h da manhã. O ginásio com capacidade para 12 mil pessoas deve estar lotado já que a Coreia do Sul é um dos países mais tradicionais na modalidade. O brasileiro estará na quinta bateria de quartas-de-final e vai disputar a classificação para a semifinal contra atletas da China, Singapura, França, Canadá e Austrália.

Para Gabriel Karnas, chefe de equipe dos esportes no gelo, o primeiro objetivo, classificar quatro modalidades pela primeira vez para os Jogos de Inverno da Juventude foi alcançado e a meta agora é evoluir em termos de classificações. “Agora a expectativa é de fazer história também quanto ao resultado esportivo. Temos o objetivo de conquistarmos um top-8 e, quem sabe, disputar uma inédita medalha. Iniciamos as competições com o Lucas, que irá estrear a participação brasileira na modalidade de pista curta em Jogos Olímpicos, e estamos com ótima expectativa de desempenho nas três provas que ele irá disputar. Neste mesmo dia, teremos o primeiro jogo do Brasil no curling, modalidade que já participou de duas edições do evento e almeja realizar sua melhor participação novamente”, comentou.

O Brasil nos Jogos Olímpicos de Inverno da Juventude


O Brasil disputa a competição desde a primeira edição em 2012, em Innsbruck, na Áustria. O evento reuniu cerca de mil atletas de mais de 60 países, disputando 15 modalidades esportivas. O Time Brasil foi representado por dois atletas de 15 anos: a paulista Eliza Nobre, 42ª no slalom gigante; e pelo cearense Tobias Macedo, 33ª posição no geral do slalom especial, e em 9º entre os atletas de sua idade, sendo o melhor sul-americano.

Lillehammer 2016 contou com cerca de 1.100 atletas de 70 países disputando 15 modalidades, algumas com formato inédito. O Time Brasil foi representado por dez atletas: Altair Firmino, no esqui cross country; Michel Macedo, no esqui alpino; Laura Nascimento e Robert Barbosa, no skeleton; Jéssica Victoria e Marley Linhares, no monobob; e uma equipe de curling formada por Elian Rocha, Giovanna Barros, Raissa Rodrigues e Victor Santos.

Destaque para o 15º lugar obtido por Michel Macedo no Super-G. Esta foi a melhor colocação do esqui alpino brasileiro em eventos olímpicos, de jovens ou adultos. No monobob, Marley Linhares ficou em oitavo lugar e Jéssica Victória, em nono.

Lausanne 2020, terceira edição dos Jogos Olímpicos de Inverno da Juventude, contou com um número igual de atletas masculinos e femininos. Cerca de 1.880 atletas competiram em 8 esportes, sendo 16 disciplinas, e em 81 eventos de medalhas durante os 13 dias de evento. O Time Brasil contou com 12 atletas, de 6 modalidades: Noah Bethonico, no snowboard cross; Manex Silva, Rhaick Bonfim, Eduarda Ribera e Taynara da Silva, no esqui cross-country; Taynara também disputou o biatlo; Lucas Carvalho e Larissa Cândido, no skeleton; Gustavo Ferreira, no monobob; e a equipe mista de curling composta por Gabi Rogic Farias, Michael Velve, Vitor Melo e Leticia Cid.

No snowboard cross, em que o Brasil foi representado no evento pela primeira vez, Noah Bethônico ficou na 11ª colocação, a apenas três posições de avançar à final, garantindo a melhor colocação entre os atletas brasileiros em Lausanne. Ainda na neve, o Brasil teve o melhor sul-americano em todas as provas de esqui cross-country que disputou, com direito a recorde de pontos FIS em todas elas. Destaque para o Top 40 de Manex Silva na prova de Sprint.

No gelo, a equipe mista de curling do Brasil marcou pontos em todos os jogos em uma competição internacional pela primeira vez e ainda quebrou os recordes de pontos marcados em uma mesma partida, na derrota de 12 a 3 para Dinamarca, em que venceu dois ends.

Outras notícias + Lista completa