Carregando...
Time Brasil

Chama Olímpica de Gangwon 2024 é apagada sob neve e ‘calor humano’ dos participantes da cerimônia de encerramento

Rafaela Ladeira, do curling, e João Teixeira, do snowboard, foram os responsáveis por carregar a bandeira do Brasil no evento

Chama Olímpica de Gangwon 2024 é apagada sob neve e ‘calor humano’ dos participantes da cerimônia de encerramento
OIS/Jonathan Nackstrand

Os Jogos Olímpicos de Inverno da Juventude Gangwon 2024 estão oficialmente encerrados. Um Parque Olímpico pintado de branco por conta da neve que caiu durante toda esta quinta-feira, 1º de fevereiro, na cidade de Gangneug, foi palco de uma cerimônia rápida e simples. A felicidade dos atletas, oficiais e voluntários deu o tom do evento, que terminou com a Chama Olímpica digital sendo apagada.

“Uma cerimônia rápida e simples, mas que teve muito calor humano, principalmente com a apresentação de k-pop (termo que designa elementos da cultura coreana como a música e a dança). O que marcou foi a alegria de todos que estavam na festa. Foi importante parar alguns momentos e relembrar o que aconteceu na competição. A Chama que se apagou seguirá acesa no coração de cada um desses atletas, que poderão evoluir na sua carreira e levar o espírito olímpico para suas vidas”, comentou Matheus Figueiredo, chefe da Missão do Brasil em Gangwon 2024.



Assim como aconteceu na abertura, as delegações entraram no local da cerimônia antes do início oficial. O desfile das bandeiras, então, foi feito apenas pelos porta-bandeiras que passaram pelo meio dos participantes. O pavilhão verde e amarelo foi conduzido por Rafaela Ladeira, integrantes da equipe mista de curling que conseguiu a primeira vitória olímpica do país na modalidade, e João Teixeira, responsável pela estreia olímpica do Brasil no snowboard halfpipe.

“Foi uma honra ter sido escolhida para representar ao Brasil na cerimônia de encerramento e poder levar a bandeira junto com o João. Quando a gente viu os integrantes da delegação do Brasil começamos a gritar 'vai, Brasil' e sentimos que outras pessoas se empolgaram. A gente que é brasileiro se conecta muito rápido com os outros. Foi muito legal!", disse Rafaela.

“Eu gosto muito de representar o Brasil e achei muito massa poder levar a bandeira. Me disseram que a bandeira é pesada! Então, ainda bem que eu sou forte igual o Hulk”, brincou João, que é nascido em Ushuaia, na Argentina, filho de mãe brasileira e pai argentino.

A cerimônia ainda contou com outros elementos tradicionais como a execução dos hinos coreano e olímpico, e com os discursos dos Presidentes do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach, e do Comitê Organizador Gangwon 2024, Choi Jong-gu. A cultura coreana foi destacada com a apresentação da rapper Lee Young-ji e do grupo de dança 1Million, representantes do K-pop.