Carregando...
Santiago 2023

Brasil fecha atletismo em Santiago 2023 com mais um ouro, uma prata e dois bronzes

Vitória veio no 4x400m masculino, enquanto Pedro Henrique Nunes ficou em segundo no lançamento de dardos; bronzes saíram no 4x400m feminino e nos 3.000m com obstáculos

Brasil fecha atletismo em Santiago 2023 com mais um ouro, uma prata e dois bronzes
Alexandre Loureiro/COB

Mais um ouro, uma prata e dois bronzes. Esse foi o saldo de medalhas no último dia de disputas do atletismo nos Jogos Pan-americanos Santiago 2023, neste sábado (04). Diante de um Estádio Nacional lotado, o Brasil venceu o revezamento 4x400m masculino, foi bronze na mesma prova no feminino e terceiro nos 3.000m com obstáculos. A prata ficou com Pedro Henrique Nunes no lançamento de dardos. Em oito dias de provas no atletismo, o Brasil somou 23 medalhas. Sete de ouro, dez de prata e seis de bronze.

O último ouro veio com Lucas Carvalho, Matheus Lima, Douglas Mendes e Lucas Conceição, com o tempo de 3m03s92. Lucas Carvalho, capitão do time, destacou a importância da conquista.

“Fizemos o melhor de hoje, mas creio que para ano que vem será muito melhor. E nos Jogos Olímpicos trazer o 4x400m de volta. É a primeira vez que sou campeão nesta prova com a seleção brasileira e só tenho a agradecer a todos.”

A prata no lançamento de dardos veio com a marca de 78.45, ficando atrás do americano Curtis Thompson (79.65). Sincero, Pedro Henrique Nunes revelou que nem esperava por esse resultado já no Pan.

“Sei que no Mundial eu não fui bem. Eu até esperava atingir grandes resultados, mas às vezes a gente é pego de surpresa como nesse ano, que quebrei dois recordes e me surpreendeu porque as marcas vieram em momentos em que não eram para vir. Voltei pra casa, treinei e a medalha veio”, comemorou o brasileiro.


No 4x400m feminino, Jainy Suellen, Leticia Maria, Anny Caroline e Tiffani Marinho completaram a prova em 3m34s80, ficando atrás das cubanas (ouro) e das atletas da República Dominicana (prata).

“Estou tão feliz com essa competição. Não foi o tempo que a gente esperava, mas foi o suficiente para subir no pódio. A gente sabia que tínhamos condições de brigar por uma medalha, só não sabíamos ainda a cor e só de cada um ter se entregado e ter dado o melhor, isso já me deixa bastante feliz”, explicou Tiffani.