Carregando...
Rosário 2022

Brasil fecha atletismo em Rosário com 23 medalhas

Modalidade somou 12 medalhas de ouro, 3 de prata e 8 de bronze

Brasil fecha atletismo em Rosário com 23 medalhas
William Lucas/COB

O atletismo do Brasil fechou o último dia de disputas do atletismo nos Jogos Sul-Americanos da Juventude com 6 medalhas (3 de ouro, 1 de prata e 2 de bronze), neste domingo (8/5), no Estádio Municipal Jorge Newbery de Rosário, Argentina. No total, após quatro dias de disputas, o atletismo do Brasil somou 23 medalhas (12 de ouro, 3 de prata e 8 de bronze).

Vanessa Sena dos Santos, que havia ganhado o salto em distância, conquistou mais uma medalha de ouro, desta vez nos 200 m - venceu a prova em 24.40 (1.1 m/s). O Brasil ainda teve dobradinha no pódio com a medalha de prata de Júlia Rocha Ribeiro (IPEC-PR), com 25.22. A equatoriana Nicola Cãnola Pluas ficou com o bronze (25.30).

"Essa competição foi muito importante para mim, fiquei muito feliz por ter conseguido conquistar dois ouros. Mas é melhorar cada vez mais e ir para cima porque tem muito mais por aí. O meu objetivo é melhorar e conseguir mais medalhas em outros campeonatos", disse Vanessa. Aos 16 anos, ela disse que sonha no futuro, "em competir nos Jogos Olímpicos e com uma medalha no peito". 

Vanessa vai representar o Brasil na Gymnasíade – o Mundial Escolar – em maio, na França, e tem qualificação para o Campeonato Pan-Americano, em junho. Tem três índices para o Campeonato Mundial Sub-20 de Cáli (COL), de 1 a 6 de agosto. No salto em distância, com 6,35 m e nos 200 m com 24.03 (0.8), feitos no Brasileiro Sub-20. No Torneio Internacional São Paulo (27/4), entre adultos, correu os 100 m em 11.82 (-0.8) - bateu a marca de 11.90 fixada como mínima pela World Athletics. 

Julia Aparecida Rocha Ribeiro já havia conquistado ouro nos 400 m com marca que é índice para o Mundial Sub-20 de Cáli - fez uma prova perfeita e completou a distância em 55.11, seu recorde pessoal (55.20 é a marca fixada pela World Athletics).

Amanda Miranda da Silva venceu os 400 m com barreiras feminino, com 1:01.94, seguida pelas argentinas Renata Godoy (1:01.98) e Helen Bernard Stilling (1:093.12). Amanda, que nasceu em Cianorte, Paraná, e faz atletismo na equipe da Prefeitura Municipal há quatro anos, já havia brilhado no Brasileiro Sub-20 com ouro nos 400 m com barreiras (1:00.55) e índice para o Mundial Sub-20 de Cáli (COL), superando a marca mínima de 1:01.00 da World Athletics.

"Não foi uma das minhas melhores provas por causa dos muitos erros técnicos, mas tive resiliência, não desisti e estou muito feliz com a medalha de ouro", disse Amanda sobre a prova e o pódio em Rosário.

A outra medalha de ouro veio com Vinícius de Brito (Rio do Sul-SC) nos 400 m com barreiras que teve a companhia no pódio do venezuelano Josue Lara Mejias (44.42) e do equatoriano Andrey Pata Reasco (55.59).

"Foi uma prova bem disputada. No aquecimento, eu estava errando algumas barreiras e fiquei com um pouco de receio, mas graças a Deus consegui fazer uma boa prova. Eu vi meus oponentes chegando, mas pensei: 'vou ser campeão sul-americano, levar essa medalha para casa'", disse Vinícius.

Mais uma medalha de ouro veio com o revezamento 4x400 m misto. O Brasil teve Paulo Henrique Ferreira da Silva, Amanda Miranda da Silva, Julia Rocha Ribeiro e Vinícius Moura Galeno e o tempo de 3.33.45. O Equador ficou com a prata com 3.40.86 e a Argentina com o bronze com 3.42.38.

O revezamento foi formado por vários destaques do atletismo brasileiro em Rosário. Paulo Henrique (IPEC-PR) já havia vencido os 110 m com barreiras na sexta-feira (6/5) com 13.72 (1.4), estabelecendo novo recorde do campeonato. Amanda Miranda Silva (Cianorte-PR) voltou a pista após ganhar os 400 m com barreiras, Júlia Rocha Ribeiro já tinha ouro nos 400 m, com índice para o Mundial Sub-20, e prata nos 200 m, e Vinícius Galeno (CASO), ouro nos 400 m. 

Um das medalhas de bronze do Brasil no último dia de disputas veio no lançamento do martelo com Luís Felipe Abílio Gomes Barbosa  e a marca de 64,96 m. O ouro foi conquistado por Ernesto Barra, do Chile, com 71,56 m, e a prata com Juan Sebastián Rojas, da Colômbia, com 65,44 m.

O outro bronze foi ganho por Adrian Martins de Oliveira no arremesso do peso (15,61 m). O equatoriano Erick Quiñonez ficou com o ouro (17,31 m) e o chileno Ernesto Barra voltou ao pódio com a prata (16,24 m)

Fonte: CBAt

Outras notícias + Lista completa