Carregando...
COB

Adhemar Ferreira, Magic Paula, Tetsuo Okamoto e Sebastián Cuattrin ganham páginas especiais no Hall da Fama digital do COB

Com fotos, vídeos e perfil completo, o site do COB lança páginas dos novos homenageados no Prêmio Brasil Olímpico 2021

Adhemar Ferreira, Magic Paula, Tetsuo Okamoto e Sebastián Cuattrin ganham páginas especiais no Hall da Fama digital do COB

Após serem reverenciados durante a cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico 2021, no início do mês, em Aracaju (SE), mais quatro ícones do esporte nacional ganham, nesta terça-feira, dia 21, páginas no Hall da Fama Digital do Comitê Olímpico do Brasil (COB). Adhemar Ferreira da Silva (atletismo), Magic Paula (basquete), Sebastián Cuattrin (canoagem de velocidade) e Tetsuo Okamoto (natação) passam a ter áreas inteiramente dedicadas às suas histórias, com biografia completa, fotos, vídeos, páginas de jornais que registraram suas principais conquistas, além de um espaço para que os fãs possam deixar recados para os ídolos olímpicos.  

“O Hall da Fama do COB tem como objetivo homenagear ídolos do esporte brasileiro, resgatar a memória do esporte brasileiro, tanto presencialmente nas homenagens, como fizemos no Prêmio Brasil Olímpico deste ano, como também no site do COB. Esse importante projeto que anualmente escolhe algumas dessas importante personalidades terá continuidade em 2022”, Rogério Sampaio, diretor-geral do COB.

Adhemar Ferreira, Paula, Sebastián Cuattrin e Tetsuo Okamoto se juntam a outros 16 nomes com páginas no Hall da Fama virtual do COB. São eles: Bernardinho (vôlei), Chiaki Ishii (judô), Guilherme Paraense (tiro esportivo), Hortência (basquete), Jackie Silva (vôlei de praia), Joaquim Cruz (atletismo), João do Pulo (atletismo), Maria Lenk (natação), Sandra Pires (vôlei de praia), Sylvio Padilha (atletismo), Torben Grael (vela) , Vanderley Cordeiro (atletismo), Zé Roberto Guimarães (vôlei) Aída dos Santos (atletismo), Bernard Rajzman (vôlei) e Wlamir Marques (basquete).

O Hall da Fama do COB é uma idealização do presidente do COB Paulo Wanderley Teixeira para garantir que as histórias de alguns dos principais atletas e personalidades do esporte brasileiros sejam enaltecidas, eternizadas e valorizadas.

CONHEÇA OS NOVOS HOMENAGEADOS 

Adhemar Ferreira da Silva foi o primeiro bicampeão olímpico do país (Helsinque 1952 e Melbourne 1956), cinco vezes recordista mundial no salto triplo e porta-bandeira na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos Roma 1960. Além de suas marcas e conquistas, Adhemar representa os valores mais elevados do esporte, como ética, espírito coletivo, eficiência técnica e física, respeito ao próximo e companheirismo. Como mais um reconhecimento, o COB oferece anualmente o Troféu Adhemar Ferreira da Silva à uma personalidade da área que apresenta esses princípios em sua vida e carreira. Saiba mais sobre esse herói nacional.

A ex-jogadora de basquete Paula, ou simplesmente Magic Paula, liderou, ao lado da Rainha Hortência e Janeth Arcain, a geração de ouro do basquete feminino do Brasil. A seleção encantou o mundo quando derrotou os EUA na semifinal e foi campeã Mundial na Austrália em 1994. Dois anos depois, se sagrou vice-campeã olímpica em Atlanta 1996. Veja lances de Magic paula em Atlanta 1996.

Um dos maiores nadadores do país, Tetsuo Okamoto foi o primeiro medalhista olímpico da natação do país. Ele conquistou o bronze nos 1.500m livre em Helsinque 1952. Nos Jogos Pan-americanos Buenos Aires 1951 levou dois ouros (nos 400m livre e 1.500m livre) além de uma prata no revezamento 4x200m livre.  Conheça a inspiração do pioneiro da natação nacional.

Com onze medalhas em Jogos Pan-americanos (um ouro, seis pratas e quatro bronzes) e quatro participações em Jogos Olímpicos, Sebastián Cuattrin foi o primeiro finalista olímpico da canoagem brasileira e alcançou o 8° lugar em Atlanta 1996. Um marco para a modalidade. Leia a biografia completa do atleta que abriu caminho para a canoagem de velocidade do Brasil.



HALL DA FAMA DO COB

O Hall da Fama do COB foi lançado em grande estilo durante a cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico 2018, a 20ª edição do evento, que teve como lema “celebrar o passado, inspirar o presente e conquistar o futuro”. Os primeiros atletas a deixarem suas marcas eternizadas foram Torben Grael (vela); a dupla Sandra Pires e Jackie Silva (vôlei de praia), e Vanderlei Cordeiro de Lima (atletismo).

No ano seguinte, em 2019, além de homenagens póstumas à Maria Lenk (natação), Guilherme Paraense (tiro esportivo), João do Pulo e Sylvio de Magalhães Padilha (ambos do atletismo), ingressaram no Hall da Fama: o judoca Chiaki Ishii, as campeãs mundiais de basquete Paula e Hortência, o meio-fundista Joaquim Cruz e os treinadores de vôlei Bernardinho e Zé Roberto Guimarães

Em 2020, foram escolhidos os seguintes nomes: Adhemar Ferreira da Silva (atletismo); Aída dos Santos (atletismo); Aurélio Miguel (judô); Bernard Rajzman (vôlei); Reinaldo Conrad (vela); Sebastián Cuattrin (canoagem velocidade); Tetsuo Okamoto (natação); Wlamir Marques (basquete); além dos treinadores Nelson Pessoa (hipismo saltos) e Mário Jorge Lobo Zagallo (futebol). Já em 2021, Rogério Sampaio (judô), Gustavo Borges (natação), Hélia Pinto “Fofão” (vôlei) e Servílio de Oliveira (boxe).


Outras notícias + Lista completa