Carregando...
Time Brasil

Estrutura do COB na Missão Europa contribui para volta de Bruno Fratus aos treinos

Vice-campeão mundial elogiou os serviços oferecidos aos atletas em Portugal


Compartilhe
Estrutura do COB na Missão Europa contribui para volta de Bruno Fratus aos treinos
Daniel Varsano/COB

O nadador Bruno Fratus chegou a Portugal na última semana para se juntar à Missão Europa e retomar de forma regular seus treinamentos. Na Flórida (EUA), onde vive, um cenário de muitas incertezas ainda dificulta sua preparação. Por isso, o mais rápido nadador do país não pensou duas vezes e embarcou rumo a Rio Maior, base principal do projeto do Comitê Olímpico do Brasil (COB).  

Para Bruno, os serviços oferecidos pelo COB aos atletas na Missão Europa foram fundamentais para sua ida. Desde que chegou em Portugal na última semana, o vice-campeão mundial do 50m livres usufrui de toda estrutura de suporte montada para atender o Time Brasil no Complexo Desportivo de Rio Maior.  

+ Pós Missão Europa, Ana Marcela é prata na travessia de Capri-Napoli e Allan do Carmo termina em quinto

“Com certeza absoluta a presença do Laboratório Olímpico em Rio Maior foi um dos fatores que mais pesou para a minha vinda à Missão Europa. Um dos grandes trunfos da estrutura que o COB oferece para a gente é justamente o Laboratório. Assim a gente pode colocar a ciência no nosso programa e ter a certeza do que a gente está fazendo com informações relevantes e específicas”, afirmou nadador. “Em pleno 2020 não usar ciência e tecnologia no treinamento não é o ideal. Então, tenho que aproveitar que o COB oferece toda essa estrutura e que o Laboratório Olímpico está em peso aqui em Portugal para ajudar a gente a voltar à forma ainda melhor e mais rápido do que estávamos antes da quarentena”, completou Bruno, que também citou a fisioterapia como mais um dos diferenciais da estrutura da Missão Europa do COB. 

A bateria de avaliações do Laboratório Olímpico com Fratus em Rio Maior inclui bioquímica, biomecânica e fisiologia. Com os dados apresentados, o nadador e sua equipe poderão elaborar um plano mais eficaz de volume de treinos, alimentação, descanso.  

“Eu sempre falo que o treino nunca acaba. O atleta está treinando 24 horas por dia, sete dias por semana. Hoje o esporte de alto rendimento depende de detalhes mínimos. Então, tudo que o atleta puder fazer de forma legal para ter um resultado melhor é que tem que ser feito e é o que a gente está fazendo aqui”, considerou Bruno.  

Depois de Portugal, Rio de Janeiro