Carregando...
COB

Assembleia aprova orçamento do COB para 2021 com 87% da verba destinada diretamente ao esporte

Montante é um recorde na história da entidade e representa cerca de 20% a mais que em 2020


Compartilhe
Assembleia aprova orçamento do COB para 2021 com 87% da verba destinada diretamente ao esporte
Guilherme Taboada/COB

A Assembleia do Comitê Olímpico do Brasil (COB) aprovou, por unanimidade, nesta quinta-feira, dia 17, o orçamento da entidade para 2021. O valor estimado para o novo ano olímpico é de R$ 388.482.667,05, o que representa cerca de 20% a mais do que em 2020. Deste montante, 87% serão destinados exclusivamente para ações esportivas, o que representa uma porcentagem recorde para a atividade fim da entidade. Antes da aprovação da Assembelia, o orçamento foi chancelado pelo Conselho de Administração e depois pelo Conselho Fiscal do COB. 

“O orçamento do COB é minuciosamente discutido e passa por um longo processo de aprovação até chegar na Assembleia Geral, que é soberana. É com muita alegria que, mais uma vez, aumentaremos o investimento direto no esporte, razão de ser do Comitê Olímpico. Enfrentamos grandes desafios em 2020, mas conseguimos, através de uma gestão de recursos financeiros responsável, economizar na atividade meio para incrementar o aporte na atividade fim, que é o esporte. Se não fosse a política de austeridade implantada na prática não estaríamos nessa situação de poder apoiar todas as modalidades e os atletas neste momento de crise mundial”, afirmou Paulo Wanderley Teixeira, presidente do COB. 

O COB prevê uma arrecadação das Loterias Caixa para o ano que vem de R$ 301.155.986,16. O restante orçado virá do contingenciamento e de recursos próprios do COB, fruto de uma redução de despesas nos últimos anos. 

“Com o adiamento dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, estamos prevendo diversas ações na preparação da delegação brasileira e organização da Missão para a principal competição deste ciclo.  Mais uma vez, realizamos um eficiente contingenciamento para potencializar o investimento no ano olímpico. Este é mais um dos motivos para estarmos apresentando uma proposta recorde de investimentos no esporte, nossa atividade fim”, disse o diretor geral do COB, o campeão olímpico Rogério Sampaio, que destacou ainda o orçamento de R$ 12 milhões destinados à área de Desenvolvimento Esportivo para as categorias de base. “Entendemos que ao longo dos anos investiremos cada vez mais nestes importantes programas que serão potencializados pensando no futuro do esporte brasileiro”, completou Rogério Sampaio, observando ainda que o aumento das taxas cambiais para moedas estrangeiras vem impactando algumas ações.  

No dia 12 de novembro, o COB já havia anunciado a distribuição direta de R$ 150 milhões dos recursos ordinários da Lei 13.756 (Lei das Loterias) às Confederações Brasileiras Olímpicas para 2021. Trata-se de um aumento de 25% em relação a 2020 e do maior valor para investimento nas modalidades desde 2001, quando a lei foi criada. 

“2020 foi um ano muito desafiador para o COB, em que tivemos que reestruturar nosso planejamento esportivo com muita rapidez para continuarmos dando o melhor suporte possível aos atletas brasileiros. Continuaremos colocando nossas ações esportivas em prática e tenho certeza de que o Brasil tem totais condições de alcançar excelentes resultados nos Jogos Olímpicos, que serão sensacionais”, afirmou Jorge Bichara, diretor de Esportes do COB, pontuando ainda que houve um aumento de oito para 12 competições internacionais que o COB enviará delegações no novo ciclo olímpico.