Marco La Porta é eleito vice-presidente do COB

Eleições, transmitida via web, contaram com a participação de 12 atletas e definiram também os membros dos Conselhos de Administração e de Ética do COB

Heitor Vilela/COB
23/03/2018 13:16

Com a participação de 12 integrantes da Comissão de Atletas e transmissão ao vivo via web, a Assembleia do Comitê Olímpico do Brasil (COB) elegeu nesta sexta-feira, dia 23, Marco Antônio La Porta como vice-presidente da entidade, assim como os membros dos recém-criados Conselhos de Administração e de Ética. Atual presidente da Confederação Brasileira de Triatlo, La Porta, que também foi Chefe da Equipe da modalidade nos Jogos Pan-americanos Toronto 2015 e Olímpicos de Londres 2012 e Rio 2016, passa a se dedicar agora à consolidação das medidas de aperfeiçoamento da governança do COB, assim como à preparação da delegação brasileira para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020.

A eleição foi transmitida ao vivo via web e foram utilizadas urnas eletrônicas cedidas pelo Tribunal Regional Eleitoral (RJ), adaptadas especialmente para a ocasião.

“As eleições de hoje coroaram com êxito o processo iniciado em outubro passado, a partir de um árduo trabalho pelas mudanças no Estatuto do COB. O pleito ocorreu na mais perfeita ordem e com total transparência, que é um dos pilares da atual administração.  Parabenizo a todos os 48 candidatos que concorreram às vagas. Aos candidatos eleitos, sejam muito bem-vindos ao Comitê Olímpico do Brasil. Contamos com vocês para dar continuidade e aperfeiçoar o processo de modernização do COB e do esporte brasileiro”, afirmou o presidente do COB, Paulo Wanderley.

La Porta venceu a eleição para vice com 44 votos, contra três de Marcel Souza e um de José Medalha, os outros candidatos ao cargo. 

“Hoje o Comitê Olímpico deu uma lição de democracia, com a participação de vários atletas votando em um evento bem transparente. É um dia histórico no esporte olímpico brasileiro”, disse La Porta. “O COB passou por um processo difícil ano passado e desde que o Paulo Wanderley assumiu, liderando a reforma no estatuto da entidade, a gente está retomando o caminho para mostrar para a sociedade que o trabalho que fazemos aqui é sério e que estamos trabalhando para desenvolver o esporte olímpico do Brasil”, afirmou La Porta.

CLIQUE e conheça o perfil de Marco La Porta

“Pretendo ajudar o esporte olímpico naquilo que eu tenho mais conhecimento, que é na parte das Forças Armadas, aproveitando o meu passado, e quero estar bem junto às Confederações e, consequentemente chegar à ponta da linha, que são os atletas”, disse La Porta, que foi Instrutor da Escola de Educação Física do Exército por dez anos.

Participaram da votação os presidentes das 35 Confederações Brasileiras Olímpicas, ou seus representantes, os 12 atletas mais bem votados da Comissão de Atletas do COB e o membro brasileiro do COI, Bernard Rajzman. Dias antes da eleição, o presidente da Comissão de Atletas, Tiago Camilo, comunicou ao COB o pedido de licença de Duda Amorim e Emerson Duarte, que estão competindo no exterior. Com isso, eles foram substituídos por Hugo Hoyama e Marcelinho Machado, respectivamente o 13º e 14º mais votados para integrar a Comissão. 

Yane Marques, vice-presidente da Comissão de Atletas do COB, ficou muito satisfeita com a participação nas eleições. “Estamos bem contentes com a votação de hoje e confirmamos a importância da participação dos atletas nesse momento tão decisivo. É um marco. Que o esporte seja gerido de uma forma que seja boa para os atletas. Essa é a nossa bandeira. A gente entende que a participação hoje foi significativa e estamos todos muito contentes e gratos por terem nos dados essa oportunidade”, disse Yane, medalha de bronze nos Jogos Olímpicos Londres 2012 no pentatlo moderno. “O COB está aproximando os atletas da gestão. É um momento muito feliz e o caminho tem que ser este mesmo. Estamos à disposição para ajudar no que estiver ao nosso alcance. Paulo Wanderley está de parabéns pelo trabalho transparente que está liderando”, afirmou a atleta.

Para o Conselho de Administração, foram escolhidos dez membros efetivos, sendo oito presidentes de Confederações Brasileiras Olímpicas (listas abaixo) e dois membros independentes. A eleição contou com 13 confederações inscritas, enquanto sete candidatos se inscreveram para os dois postos de membros independentes. Entre eles Sérgio Rodrigues, que teve 36 votos.  Rodrigues é advogado e millita no Direito Esportivo há anos, com participação em diversos Tribunais Esportivos. “O país está mudando e, consequentemente, o esporte também segue esse caminho. O presidente Paulo Wanderley, ao fazer essas mudanças no estatuto, o que ele está propondo vai de encontro à minha formação, que é de governança, transparência, gestão profissional”, disse o faixa-preta de jiu-jitsu. “Vamos montar um grupo para contribuir na melhoria do esporte olímpico. Temos que manter a vivacidade do esporte olímpico durante todo o ciclo. Como toda grande empresa, o conselho tem papel fundamental e vamos atuar de forma bastante objetiva, auxiliando o presidente nas tomadas de decisões”, completou Rodrigues.

Já o Conselho de Ética é composto por cinco membros efetivos, sendo obrigatoriamente três membros independentes. Foram 10 candidatos independentes e cinco não independentes.  O advogado Alberto Murray foi o mais votado, com 35 votos. “Sempre lutei pela criação de um Conselho de Ética e agora é colocar em prática tudo o que acredito. Minha função é ouvir a sociedade, deixar o COB mais próximo aos anseios da sociedade praticando ações em prol da ética olímpica”, disse Alberto Murray.  “A imagem do COB estava muito desgastada. Todas essas mudanças estão resgatando a imagem da entidade. O Conselho de Ética é mais um canal para esse resgate da credibilidade do COB”, disse o advogado, neto do ex-presidente do COB, Sylvio de Magalhães Padilha.

Momento curioso na votação aconteceu quando o presidente da Confederação Brasileira de Skate foi registrar seu voto. Bob Burnquist se encaminhou até a urna sobre seu inseparável skate. “É um momento novo para mim e para o esporte. Fazer parte e ter um voto pela Confederação Brasileira de Skate é muito legal. A gente se sente honrado por fazer parte desse movimento. Estamos tentando movimentar, botar uma energia nova”, disse Bob. “Estou entrando em um momento novo do COB. Gostei de ver a grande participação dos atletas nessa eleição. Precisamos desse equilíbrio. Eu, como atleta, penso nas decisões como se eu fosse beneficiado”, disse Bob.

Confira todos os candidatos eleitos nesta sexta:

Vice-presidente
Marco La Porta – 44 votos

Conselho de Administração (Membros Independentes)
Sergio Rodrigues – 36 votos
Carlos Osso – 23 votos

Conselho de Administração (Membros das Confederações)
Judô – Silvio Acácio Borges – 39 votos
Golfe – Euclides Antônio Gusi – 33 votos
Desportos no Gelo – Matheus Bacelo de Figueiredo – 32 votos
Vela – Marco Aurélio de Sá Ribeiro – 30 votos
Boxe – Mauro José da Silva – 29 votos
Canoagem – João Tomasini Schwertner – 28 votos
Esgrima – Ricardo Pacheco Machado – 24 votos
Karatê – Luiz Carlos Cardoso do Nascimento – 21 votos (24 a 22 no desempate com o Levantamento de Pesos)

Conselho de Ética
Alberto Murray – 35 votos (membro independente)
Caputo Bastos – 26 votos (membro independente)
Ney Bello – 26 votos (membro independente)
Sami Arap – 24 votos (membro não independente)
Bernardino Santi – 23 votos (membro não independente)

VEJA TAMBÉM:
Eleições marcam período de mudanças

CLIQUE AQUI e confira os resultados oficiais das eleições do COB