Carregando...
COB

Nota de pesar – Falecimento de Massao Shinohara

Nota de pesar – Falecimento de Massao Shinohara
Divulgação/CBJ

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) manifesta seu mais profundo pesar pelo falecimento, aos 95 anos, do mestre Massao Shinohara. O esporte olímpico do Brasil está de luto. Sensei Massao foi um dos maiores mestres do judô nacional, responsável por formar centenas de campeões nos tatames, como os medalhistas olímpicos Aurélio Miguel, Luís Onmura e Carlos Honorato, e na vida, usando o esporte como ferramenta educacional. 

Em 2017, a Confederação Brasileira de Judô outorgou ao sensei Massao o 10º Dan, maior graduação possível na modalidade. Ele ainda é o único judoca no Brasil a receber tal honraria, o que demonstra o tamanho de sua contribuição ao judô.  

Filho de imigrantes japoneses criado em Embu das Artes, São Paulo, Massao começou a praticar judô em 1940, aos 15 anos. Sua forma de lutar chamou a atenção de Ryuzo Ogawa, um dos grandes mestres de judô do Brasil, com quem passou a treinar em São Paulo até se tornar professor.  

Em 1956, fundou a Associação de Judô Vila Sônia numa garagem alugada e conciliava as aulas com o trabalho de transportador de legumes. Com a ajuda do amigo Jorge Tatsumi e dos pais de seus alunos, angariou recursos para comprar um terreno maior e construiu sozinho o que é hoje o atual dojô da Associação de Judô Vila Sônia, fundado em 1986.  

Massao Shinohara foi técnico da seleção brasileira de judô nos Jogos Olímpicos de Los Angeles 1984, onde Douglas Vieira conquistou a prata, além de Luiz Onmura e Walter Carmona que conquistaram o bronze, acabando com um jejum que vinha desde o bronze de Chiaki Ishii em Munique 1972 e dando início a uma tradição de medalhas em todas as edições posteriores de Jogos Olímpicos. 

Em sua trajetória como professor, Massao formou grandes faixas pretas brasileiros, entre eles seu próprio filho, Luiz Shinohara, técnico da seleção masculina do Brasil desde 2002, o campeão olímpico Aurélio Miguel e os medalhistas olímpicos Carlos Honorato, prata em Sydney 2000, e o próprio Onmura. Parte uma referência para todos os judocas e professores do Brasil.

Neste momento difícil, o Comitê Olímpico do Brasil solidariza-se aos familiares, amigos e a toda comunidade do judô nacional.

Outras notícias + Lista completa