Carregando...

Laboratório Olímpico

Compartilhe

Fruto de uma parceria do Comitê Olímpico do Brasil com nove instituições de ensino e pesquisa, o Laboratório Olímpico Brasileiro tem incentivo do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação através do financiamento da FINEP. 

Seu principal diferencial deve-se à proximidade física de atletas e treinadores do esporte de alto rendimento, já que suas dependências estão localizadas no Parque Aquático Maria Lenk, coração do Centro de Treinamento Olímpico do Time Brasil.

Por este motivo, o Laboratório Olímpico apresenta um conceito inovador que viabiliza avaliações personalizadas capazes de atender às especificidades de cada modalidade, inclusive podendo deslocar-se para onde os nossos atletas estiverem.

Laboratório Olímpico 

O Laboratório tem como base três áreas de conhecimento:

Área de Conhecimento Científico

Bioquímica, Fisiologia, Biomecânica e Preparação Mental

Área de Saúde e Performance

Medicina, Fisioterapia, Condicionamento e Força e Nutrição

Área de Suporte e Desenvolvimento

Gestão do Conhecimento, Análise de Desempenho e Tecnologia.

O trabalho em conjunto de todas as suas áreas do conhecimento, impacta positivamente na tomada de decisões durante a montagem dos planos de treinamento dos nossos atletas.

Em um mundo onde o esporte é decidido em pequenos detalhes, este legado dos Jogos Olímpicos Rio 2016, equipado com tecnologia de ponta, é uma ferramenta eficaz para o ganho de performance dos atletas olímpicos do Brasil.

É o Comitê Olímpico do Brasil trabalhando rumo à novas conquistas.


Áreas de Conhecimento do Laboratório Olímpico 

Análise de Desempenho:

A área de Análise de Desempenho trabalha na ligação das diversas Áreas Científicas do Laboratório com os treinadores das modalidades esportivas, descodificando as informações em uma linguagem que possa ser entendida, avaliada e utilizada para a melhoria da performance dos seus atletas.

Biomecânica: 

A área de Biomecânica estuda variáveis, como força, aspectos mecânicos, aspectos físicos e biofísicos. Através de filmadora, plataformas de força, eletromiografia, sensores inerciais, entre outros, eles reconstituem o movimento, calculam as forças, torques e momentos de força envolvidos, observam padrões de ativação musculares e possíveis desequilíbrios, e diversas outras variáveis, para, a partir destes resultados, em conjunto com o treinador, sugerir alterações na técnica de execução do movimento, exercícios complementares, e fazer qualquer intervenção que venha aprimorar o gestual técnico do atleta.

Bioquímica:

A área de Bioquímica estuda o metabolismo do atleta, principalmente, pelo sangue e pela urina. No entanto, ainda pode-se utilizar outras matrizes biológicas, como cabelo, suor e lágrima. O estudo do metabolismo do atleta responde à alimentação, à hidratação e a cargas de treinamento prescritas pelo treinador. Os resultados gerados pelos Bioquímicos podem interagir e integrar com as informações geradas por outros profissionais do esporte (fisiologistas, nutricionistas, educadores físicos, biomecânicos, psicólogos, médicos, etc.) e, assim, melhorar a performance do atleta.


Coaching:

Coaching é um processo visando mudanças conscientes, por meio de estratégicas específicas, que consiste no acompanhamento de um atleta ou treinador (Coachee) ou um grupo de pessoas pelo Coach, em um momento importante de sua vida, a partir das necessidades que ela mesma expressa, na direção de seus objetivos pessoais e profissionais. O Coaching proporciona êxito duradouro, autonomia, eficácia, auto realização e desenvolvimento do potencial e competências.

Fisiologia: 

A área de Fisiologia do Exercício estuda as respostas e adaptações do organismo aos estímulos do exercício e do esporte. No âmbito esportivo, a fisiologia do exercício utiliza testes específicos que permitem mensurar parâmetros fundamentais para a prescrição do treinamento visando otimizar o desempenho esportivo. 

Fisioterapia: 

A área de Fisioterapia atua na reabilitação e recuperação de lesões, como também na elaboração de programas preventivos de lesões inerentes às modalidades esportivas, visando minimizar a sua incidência com a melhora dos desequilíbrios musculares e retrações que possam ao longo da carreira do atleta favorecer o surgimento de lesões.

Gestão do Conhecimento:

A área de Gestão do Conhecimento é responsável por toda a revisão da produção científica do Laboratório Olímpico, garantindo uma uniformidade de estilo, conteúdo e identidade visual nos documentos. É ela também que cataloga, envia para os destinatários autorizados e arquiva todos os relatórios produzidos pelas áreas de conhecimentos, cuidando especialmente da proteção e sigilo dos dados dos atletas. A área também tem atuação na elaboração das políticas e procedimentos internos e na organização e coordenação da agenda de avaliações do laboratório

Medicina do exercício e do esporte 

A área de Medicina do Exercício e do Esporte é a especialidade médica que tem seu foco de atenção no praticante de atividade física, tanto pela ótica da reabilitação quando pela ótica esportiva. Cada uma destas áreas delimita o foco do médico do esporte e sua atuação, que segue desde o paciente cardiopata até o atleta de ponta. A especialidade é reconhecida pelo MEC, ABM e possui a Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte como sociedade de classe regulamentadora técnica e científica.

Nutrição: 

A área de Nutrição Esportiva presta assistência na avaliação, planejamento, acompanhamento, bem como, educação dos parâmetros nutricionais e de hidratação de indivíduos e coletividades. Para que o desempenho em treinamentos e competições sejam efetivos, é necessária uma ingestão de alimentos e líquidos adequados com relação a quantidade, qualidade e periodização, prescritas de forma personalizada, de acordo com a especificidade de cada modalidade. 

Preparação Física:

A área de Preparação Física auxilia o treinador no monitoramento das cargas de treinamento físico e a escolher a melhor combinação entre intensidade, duração e frequência das sessões de treinamento, além de atuar no desenvolvimento da capacidade cardiorrespiratória, da força muscular e da flexibilidade dos atletas. 

Preparação Mental:

A área de Preparação Mental auxilia o treinador na identificação de aspectos emocionais e cognitivos dos atletas que possam aumentar o desempenho esportivo, identifica as necessidades motivacionais bem como, técnicas de comunicação que possam ser mais efetivas como estímulo na aderência ao treinamento esportivo. Variáveis como liderança, tomada de decisão, lidar sobre pressão, concentração, entre outras competências psicológicas, fazem parte do conteúdo dessa área.

Tecnologia Esportiva:

A área de tecnologia tem se mostrado uma verdadeira aliada ao meio esportivo. As novas ferramentas como a Internet e a comunicação digital de alta velocidade tornam possível a análise e integração de informações e recursos de maneira eficiente e efetiva para aperfeiçoamento do treinamento e para a tomada de decisões. Mais do que tecnologias para as roupas que os atletas usam, a tecnologia esportiva possibilita trazer dados essenciais para a criação e cruzamento de informações para a reprodução de estatísticas individuais ou coletivas. Podemos encontrar esses mecanismos evolutivos em todos os espaços, desde o que o atleta veste até o monitoramento da performance via computadores.

Sites olímpicos e paraolímpicos
Patrocinadores Olímpicos Mundiais
Patrocinadores Oficiais
Apoiadores Oficiais
Parceiros Oficiais