Carregando...

Luge

História

Assim como o Skeleton, o Luge também é disputado em cima de um trenó e considerado um dos esportes mais radicais do programa olímpico. A diferença é que o atleta desce as pistas com as costas em cima do trenó e a cabeça para trás, sem ter uma visão completa da pista. Nos Jogos Olímpicos são quatro descidas e vence quem tiver o menor tempo.

As primeiras referências ao Luge existem desde o Século 16 com relatos na Noruega e Alemanha, com o hábito de meio de transporte. Entretanto, a versão moderna ganhou corpo no Século 19, em St. Moritz, na Suíça (berço do skeleton e bobsled).

A primeira corrida oficial de Luge aconteceu em 1883, em Davos (SUI) e, em 1913, nasceu a Federação Internacional de Esportes de Trenó, na Alemanha. A federação organizou o esporte até 1935, quando foi incorporada à IBSF (Federação Internacional de Bobsled e Skeleton), que havia sido fundada em 1923. Em 1957, foi fundada a Federação Internacional de Luge, que organiza até hoje as provas internacionais da modalidade. Na edição de Innsbruck, em 1964, o esporte passou a fazer parte dos Jogos Olímpicos de Inverno.

Ao lado do Bobsled, o Luge acompanha a CBDG desde sua fundação em 1996. As primeiras competições com atletas do país na modalidade foram em 1997, com Ricardo Raschini e Renato Mizoguchi. Os dois, inclusive, participaram dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2002, em Salt Lake City (EUA).

O Brasil manteve uma atividade constante no Luge olímpico até 2005. Nessa data o país começou a participar do circuito internacional do Luge em pista natural. Desde então, foram três participações em Mundiais e em etapas da Copa do Mundo.

Disciplinas

O programa olímpico conta com provas no individual e duplas masculino, individual feminino e revezamento por equipes. Assim, são 12 medalhas na modalidade, em que os atletas atingem uma velocidade de até 145km/h.

Na competição de simples, os atletas disputam na mesma pista, sendo que são permitidas quatro corridas ao longo de dois dias. Essas quatro corridas são cronometradas aos centésimos de segundo e os seus tempos são somados. Feita a somatória, o atleta com o tempo mais rápido é o vencedor.

A competição de duplas acontece em um único dia, com duas corridas para cada dupla. Novamente, a dupla com o tempo acumulado mais rápido consegue o ouro.

O revezamento de equipes envolve três trenós por país: simples feminino, simples masculino e duplas. A competidora feminina é a primeira a ir para a pista, e quando ela toca uma placa acima da cabeça no final do circuito, automaticamente é permitido que o próximo trenó (do competidor masculino) comece. A dupla masculina é a última a correr. O vencedor é o time com o menor tempo depois que os três trenós cruzam a linha de chegada.

Curiosidades

- O luge exige uma série de equipamentos obrigatórios para os atletas: capacete aerodinâmico, botas de alta resistência por conta do impacto com a pista, visores e luvas com micro-agulhas para causar atrito no chão durante a largada e aumentar a velocidade;
- Os trenós devem ter duas lâminas de metal que tocam diretamente a pista de gelo e um encosto para o atleta poder se deitar. Ele é feito de fibra de carbono, madeira e aço. Ele deve pesar no máximo 23kg nas competições individuais e 27kg nas duplas;
- Normalmente, as pistas artificiais são as mesmas das provas de Skeleton e Bobsled, mas mulheres e duplas costumam largar em outros pontos, reduzindo o trajeto;
- Os atletas podem chegar a 145km/h, o que faz desse o esporte de inverno mais rápido do programa olímpico;
- Além da versão olímpica, existe o luge em pista natural. As pistas são menores e com curvas mais fechadas, o trenó possui uma alavanca que serve como freio, e a própria pista não tem refrigeração artificial.


Outros esportes