Carregando...

Rio 2007

13/06 a 29/06
|
Jogos Pan-Americanos

Os XV Jogos Pan-americanos Rio 2007 ficaram marcados pelo desempenho histórico dos atletas brasileiros, superando o recorde de medalhas obtido quatro anos antes, em Santo Domingo, onde o Brasil subiu 123 vezes ao pódio, sendo 29 para receber medalhas de ouro. Nos Jogos Rio 2007 esse número subiu para 157 medalhas no total: 52 de ouro (um aumento de 79% em relação à última edição dos Jogos), 40 de prata e 65 de bronze.

Esse resultado deixou o país na terceira colocação do quadro geral de medalhas, à frente do Canadá. Apesar de o Brasil ter travado uma luta direta com Cuba pela segunda posição, os cubanos garantiram o posto por terminarem os Jogos com o maior número de ouros (59), mesmo ficando atrás dos brasileiros no total de medalhas (135). Mais uma vez, os Estados Unidos lideraram o quadro, com 237 medalhas ao todo. Mantiveram a soberania com 97 ouros, mas, pela primeira vez desde os Jogos da Cidade do México 1955, não conseguiram atingir a marca de 100 medalhas douradas.

Por ser o país sede da competição, o Brasil participou de todas as 47 modalidades disputadas e conquistou medalhas em 40, atingindo 85% de aproveitamento. A maior Delegação Brasileira da história foi composta por 960 integrantes. A melhor participação brasileira foi um reflexo do primeiro ciclo pan-americano completo com os recursos da Lei Agnelo/Piva. A aplicação dos recursos da Lei proporcionou a melhor preparação dos atletas brasileiros de todos os tempos, com a criação de 30 equipes olímpicas permanentes, abrangendo 710 atletas.

Outros países realizaram uma importante campanha no Rio 2007. Se, em 2003, o Chile conquistou apenas duas medalhas de ouro; em 2007 venceu seis competições, subindo da 13ª para a décima colocação. Os colombianos também subiram na classificação final, saindo da oitava posição em Santo Domingo para a sexta no Rio de Janeiro. Esse foi o melhor desempenho do país nos Jogos Pan-americanos, com 14 medalhas de ouro, 20 de prata e 13 de bronze.

A salvadorenha Cristina Lopez, da marcha atlética, ganhou o primeiro ouro de El Salvador em uma edição dos Jogos. O país conquistou ainda três medalhas de prata e seis de bronze. Antígua e Barbuda também comemorou o primeiro ouro pan-americano com Brendan Christian nos 200m rasos. O país havia conquistado somente uma medalha de bronze em Mar del Plata 1995 e conseguiu outros dois bronzes no Rio de Janeiro, com James Grayman no salto em altura e, novamente, Brendan Christian nos 100m rasos. Já Granada festejou a terceira colocação de Sherry Fletcher nos 200m rasos feminino, primeira medalha do país na história dos Jogos Pan-americanos.

Os Jogos também entraram para a História pela grandeza do Revezamento da Tocha, que passou pelas 27 capitais brasileiras e mais 22 localidades, e de sua Cerimônia de Abertura, com o Estádio do Maracanã lotado. E ainda pelo padrão olímpico de sua organização e de suas instalações, muitas construídas para os Jogos, como o Estádio João Havelange; as do Complexo Cidade dos Esportes, no Autódromo; e do Complexo Esportivo de Deodoro. Outras totalmente reformadas e remodeladas, como as do Complexo Esportivo do Maracanã.

A natação foi o esporte que conquistou o maior número de medalhas para o Brasil: 24, sendo dez de ouro, seis de prata e oito de bronze, uma evolução de 233% no número de medalhas de ouro em comparação com Santo Domingo, onde o Brasil conquistou três. Thiago Pereira foi o grande vencedor dos Jogos, com seis medalhas de ouro, uma de prata e uma de bronze. Ele se tornou o recordista de vitórias em uma edição dos Jogos, superando os nadadores Fernando Scherer, do Brasil, e o americano Mark Spitz.

No Judô, o Brasil conquistou 13 medalhas nas 14 categorias em disputa. Flávio Canto sofreu uma luxação no cotovelo direito durante a semifinal contra o americano Travis Stevens e não retornou ao dojô para a disputa pela medalha de bronze. As judocas mostraram evolução em relação a Santo Domingo, com a conquista de dois ouros, quatro pratas e um bronze. Edinanci Silva derrotou a cubana e atual campeã mundial Yurisel Laborde por ippon e sagrou-se tricampeã no meio-pesado feminino.

O Rio de Janeiro foi o palco de momentos históricos para o esporte brasileiro. Apesar de o Brasil ter ficado com a prata no basquete feminino, a premiação foi marcada pela emoção da despedida da ala Janeth. No tênis de mesa, Hugo Hoyama conquistou sua nona medalha de ouro, se tornando, assim, o maior medalhista de ouro brasileiro na história dos Jogos, à frente do ex-nadador Gustavo Borges, que acompanhou a partida final da competição de equipes no Riocentro e parabenizou o mesa-tenista. A karateca Lucélia Ribeiro passou a ser a maior campeã pan-americana em uma modalidade individual do esporte brasileiro ao conquistar o tricampeonato de sua categoria.

Outro tricampeão, mas em esportes coletivos, foi o jogador de basquete Marcelinho. O ala esteve na equipe que venceu os Jogos de Winnipeg 1999, Santo Domingo 2003 e Rio 2007. Esta foi a quinta vitória do basquete masculino em Jogos Pan-americanos que conquistou o ouro com uma participação invicta. As Seleções feminina e masculina de handebol também garantiram o tri e o bicampeonato, respectivamente.

A ginástica artística fechou sua apresentação nos Jogos com um saldo de nove medalhas, quatro de ouro, duas de prata e três de bronze. Diego Hypolito venceu sem dificuldades no solo e no salto, provas em que já era o favorito, conquistando as primeiras medalhas de ouro masculinas da ginástica artística brasileira nos Jogos. As outras duas medalhas foram para Mosiah Rodrigues na barra fixa e para Jade Barbosa no salto.

E as meninas da ginástica rítmica repetiram o desempenho dos Jogos de Santo Domingo no conjunto, com três medalhas de ouro (geral; cinco cordas; e três arcos e duas maças). O país ainda ganhou um bronze no individual, com Ana Paula Schaffer no arco.

Três modalidades estrearam nos Jogos Pan-americanos e com medalhas brasileiras: futsal, ginástica de trampolim e maratonas aquáticas. O futsal conquistou a medalha de ouro, a carioca Giovanna Matheus levou o bronze na ginástica de trampolim e Poliana Okimoto e Allan do Carmo ficaram com a prata e o bronze das maratonas aquáticas, respectivamente.

Nos gramados, a Seleção feminina de futebol deu um show à parte nos Estádios João Havelange e no Maracanã, onde conquistou o ouro diante de 60 mil pessoas. Pelo seu desempenho nos Jogos, a brasileira Marta, eleita a melhor do mundo pela FIFA, se tornou a primeira mulher a colocar os pés na Calçada da Fama do Maracanã.

O vôlei de praia conquistou pela primeira vez o ouro no feminino, com Juliana e Larissa, e no masculino, com Ricardo e Emanuel. O vôlei de quadra feminino ficou com a prata e o masculino, com o ouro, o que não acontecia desde Caracas 83, completando todas as conquistas possíveis para a maior geração desse esporte no país até então.

A modalidade que apresentou o maior crescimento total em relação aos últimos Jogos foi o boxe, com oito medalhas das 11 possíveis, contra três em Santo Domingo. O baiano Pedro Lima quebrou um jejum de 44 anos sem medalhas de ouro no boxe para o país. A também nordestina Yane Marques aproveitou para carimbar seu passaporte para os Jogos Olímpicos Pequim 2008, ao conquistar, após 48 anos, a primeira medalha de ouro feminina do Brasil no pentatlo moderno.

O taekwondo fez a sua melhor participação em Jogos Pan-americanos, com a primeira medalha de ouro desde Havana 1991 e a segunda do Brasil no esporte na história dos Jogos, com Diogo Silva. Além da medalha dourada, a modalidade ficou também com duas de prata e uma de bronze. Na vela, o país conseguiu conquistar três medalhas de ouro, duas de prata e duas de bronze, quase o dobro das quatro medalhas ao todo em Santo Domingo.

Por causa da chuva, o confronto decisivo do torneio masculino de tênis foi transferido para o último dia do evento e para uma quadra coberta, o que não impediu o Brasil de manter o ouro conquistado por Fernando Meligeni em Santo Domingo, ao derrotar Marcelo Rios, do Chile, na final. Desta vez, coube a Flávio Saretta levar o país ao topo do pódio, vencendo outro chileno, Adrián Garcia.

Os cavaleiros Rodrigo Pessoa, Bernardo Alves, Pedro Veniss e César Almeida, da equipe de saltos, conquistaram o ouro no hipismo. Além disso, Rodrigo Pessoa garantiu também a prata no individual. Já a equipe de adestramento fez história ao ganhar a medalha de bronze - quebrando um tabu de 24 anos sem medalhas em Jogos Pan-americanos - e obter uma vaga para os Jogos Olímpicos pela primeira vez na modalidade. Rogério Clementino, Renata Costa e Luiza Almeida, de apenas 15 anos e última atleta a integrar a Delegação Brasileira, foram os responsáveis por mais essa marca no Rio 2007.

Outras medalhas inéditas conquistadas pelo Brasil no Rio 2007 foram o ouro de Fabiana Murer e Fábio Silva no salto com vara, a primeira medalha (prata) do boliche para a dupla Rodrigo Hermes e Fábio Rezende, o bronze nas duplas de badminton para Guilherme Kumasaka e Guilherme Pardo, a prata no BMX feminino com Ana Flávia Sgobin, a primeira medalha feminina na esgrima para Clarisse Menezes (bronze na espada) e o também bronze para João Antônio Souza no florete (primeira vez nesta arma), o ouro do esqui aquático para Marcelo Giardi no wakeboard e a prata na luta greco-romana com Luis Fernandes e o bronze na luta livre feminina com Rosângela Conceição.

Países: Antígua e Barbuda, Antilhas Holandesas, Argentina, Aruba, Bahamas, Barbados, Belize, Bermuda, Bolívia, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Dominica, El Salvador, Equador, Estados Unidos, Granada, Guatemala, Guiana, Haiti, Honduras, Ilhas Caimã, Ilhas Virgens, Ilhas Virgens Britânicas, Jamaica, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Porto Rico, República Dominicana, Santa Lúcia, São Cristóvão e Névis, São Vicente e Granadinas, Suriname, Trinidad e Tobago, Uruguai e Venezuela.

Número de países: 42
Total de atletas: 5.662
Atletas do Brasil: 660
Número de modalidades: 47

Modalidades: Atletismo, badminton, basquete, beisebol, boliche, boxe, canoagem, ciclismo (bmx, estrada, mountain bike e pista), esgrima, esportes aquáticos (nado sincronizado, natação, saltos ornamentais, polo aquático), esqui aquático, futebol, futsal, ginástica (artística, rítmica e de trampolim), handebol, hipismo (saltos, CCE e adestramento), hóquei sobre grama, judô, karatê, levantamento de peso, lutas, patinação (artística e de velocidade), pentatlo moderno, remo, softbol, squash, taekwondo, tênis, tênis de mesa, tiro esportivo, tiro com arco, triatlo, vela, vôlei, vôlei de praia.

Modalidades estreantes: Futsal, ginástica de trampolim e maratona aquática.

Outras participações nos Jogos Pan-Americanos Todas participações
Sites olímpicos e paraolímpicos
Patrocinadores Olímpicos Mundiais
Patrocinadores Oficiais
Apoiadores Oficiais
Parceiros Oficiais