Carregando...

Mar del Plata 1995

12/03 a 26/03
|
Jogos Pan-Americanos

O crescimento dos Jogos Pan-americanos, iniciado na edição de 1979, atingiu seu auge em Mar Del Plata. Nada menos que sete novas modalidades entraram no programa de competição. Dos sete novos esportes, apenas o badminton já fazia parte do programa olímpico e somente o triatlo seria integrado aos Jogos Olímpicos posteriormente.

Com tantas novidades, o número de atletas também cresceu significativamente. Foram 5.144 competidores, o maior número já registrado na história do Pan até então. Para dar conta de tudo isso, Mar del Plata dividiu com outras seis cidades a honra de receber o evento. Buenos Aires recebeu disputas em nove esportes; Paraná, a capital argentina do softbol, ficou com esta modalidade; Santa Fé foi a sede do esqui aquático; Tandil e Necochea serviram como subsedes para o torneio de futebol; e Miramar recebeu a prova de mountain bike do ciclismo.

A delegação brasileira, que só não teve representantes na patinação artística, na pelota basca, no raquetebol, no esqui aquático, no hóquei na grama e no softbol, alcançou uma série de marcas expressivas.

Com o primeiro lugar na dupla e por equipe, o mesa-tenista Cláudio Kano atingiu o recorde de quatro Pans consecutivos ganhando pelo menos uma medalha de ouro. Kano morreu em 1996, vítima de um acidente de moto.

A natação conseguiu o recorde de 16 medalhas, entre elas a de ouro de Fernando Scherer, o Xuxa, nos 50m livre - prova em que derrotou o americano Tom Jagger, recordista mundial na época. Nos Jogos Olímpicos Atlanta 1996, Xuxa ficaria com o bronze na mesma prova.

No hipismo, o cavaleiro Nelson Pessoa voltou a ganhar uma medalha de ouro numa edição dos Jogos Pan-americanos 28 anos depois de subir ao topo do pódio com a equipe de saltos em Winnipeg 1967. Nos Jogos Mar del Plata 1995, Nelson tinha a seu lado na equipe o filho Rodrigo Pessoa, além de Vitor Alves Teixeira e André Bier Johannpeter. Em Atlanta, Rodrigo e André se juntaram a Luiz Felipe de Azevedo e Alvaro Affonso de Miranda Neto, o Doda, na equipe que ganhou o bronze.

Sem tanta tradição, a equipe do concurso completo de equitação (CCE), formada por cavaleiros do interior de São Paulo (Serguey Fofanoff, Luciano Miranda Drubi, André Luiz Giovanini e Ruy Leme da Fonseca Filho), também ganhou o ouro em Mar del Plata.

No atletismo, o campeão olímpico de 1984 Joaquim Cruz marcou seu retorno após quatro anos de lesões e cirurgias no tendão de Aquiles com uma brilhante vitória nos 1.500m. E, na vela, o iatista Robert Scheidt começava com uma medalha de ouro na Argentina o seu domínio internacional na classe laser, que se consolidaria com outro ouro em Atlanta.

Futuro campeão mundial profissional de boxe, Acelino Popó Freitas ficou com a prata na categoria peso leve, mas levou o Brasil de volta a uma disputa de final no boxe, algo que não acontecia desde os Jogos de San Juan 1979. Após os Jogos, Popó largou o boxe amador e se profissionalizou.

Sebastian Cuattrin conquistou as primeiras medalhas da canoagem brasileira na história dos jogos. Foi duas vezes bronze no caiaque para uma e duas pessoas em provas de 1.000m (K-1 1.000 e K-2 1.000, ao lado de Alvaro Koslowski).

A Argentina também deu um salto no quadro de medalhas. Em relação a 1991, os argentinos ganharam 29 medalhas de ouro a mais (40 a 11) e um total de 104 medalhas a mais (159 a 55). Uma das conquistas mais dramáticas foi justamente no esporte mais popular do país, o futebol. Com uma seleção jovem - mas cheia de futuros astros do futebol mundial como Zanetti, Ortega, Crespo e Sorín -, a Argentina ganhou o ouro numa decisão por pênaltis na final contra o México.

O avanço argentino não impediu, contudo, que os Estados Unidos retomassem a hegemonia continental. Depois de ficar atrás de Cuba no quadro de medalhas do Pan Havana 1991, os EUA totalizaram imbatíveis 170 medalhas de ouro nos Jogos de Mar del Plata.

As Ilhas Virgens Britânicas foram o país de menor delegação esportiva nos Jogos. Apenas um atleta defendeu o país. Foi o velejador Robert David Hirst, que competiu na categoria laser e terminou em oitavo lugar.

Estreante nos Jogos, a Dominica não tinha uma delegação muito maior do que a das Ilhas Virgens Britânicas. Porém, o país pôde festejar a conquista de uma medalha. Jerome Romain ganhou a prata no salto triplo, com a marca de 17m24.

Países: Antígua e Barbuda, Antilhas Holandesas, Argentina, Aruba, Bahamas, Barbados, Belize, Bermuda, Bolívia, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Dominica, El Salvador, Equador, Estados Unidos, Granada, Guatemala, Guiana, Haiti, Honduras, Ilhas Cayman, Ilhas Virgens, Ilhas Virgens Britânicas, Jamaica, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Porto Rico, República Dominicana, Santa Lúcia, São Cristóvão e Nevis, São Vicente e Granadinas, Suriname, Trinidad e Tobago, Uruguai e Venezuela.

Número de países: 42
Total de atletas: 5.144
Atletas do Brasil: 401
Número de esportes: 34

Esportes: Atletismo, badminton, basquete, beisebol, boliche, boxe, canoagem, ciclismo, esgrima, esportes aquáticos (natação, natação sincronizada, saltos ornamentais, polo aquático), esqui aquático, futebol, ginástica (artística e rítmica), handebol, hipismo, hóquei sobre grama, judô, karatê, levantamento de peso, lutas, patinação sobre rodas, pelota basca, raquetebol, remo, softbol, squash, taekwondo, tênis, tênis de mesa, tiro com arco, tiro esportivo, triatlo, vela e vôlei.

Esportes estreantes: Badminton, esqui aquático, karatê, pelota basca, raquetebol, squash e triatlo.

Outras participações nos Jogos Pan-Americanos Todas participações
Sites olímpicos e paraolímpicos
Patrocinadores Olímpicos Mundiais
Patrocinadores Oficiais
Apoiadores Oficiais
Parceiros Oficiais