Carregando...

Gangwon 2024

19/01 a 01/02
|
Jogos Olímpicos de Inverno da Juventude

Participação do Brasil

Atletas: 17 (12 homens e 5 mulheres)
Modalidades: 8

A participação do Time Brasil em Gangwon foi histórica. Começou com o país batendo recorde de atletas classificados, com 17, além também do maior número de modalidades em todos os tempos, com oito (curling, esqui cross country, biatlo, snowboard, esqui alpino, bobsled, skeleton e patinação velocidade - pista curta). Como já tem sido tradicional, foi a terceira maior delegação das Américas, atrás de Estados Unidos e Canadá. 

E os resultados completaram uma edição que ficará marcada para sempre na história do esporte olímpico brasileiro. O principal deles veio com a medalha de bronze conquistada por Zion Bethonico, a primeira em qualquer Jogos de Inverno do Brasil, seja de adulto ou da juventude. O atleta ficou com a terceira posição no snowboard cross e registrou um feito inesquecível para o país. 

No gelo, o desempenho também foi muito bom. A equipe mista de curling derrotou a Alemanha por 06 a 04 e conseguiu a primeira vitória olímpica da modalidade. O Brasil ainda teve atletas entre os 10 melhores do mundo nas outras três modalidades que participou sobre superfície congelada. Luis Filipe Seixas foi o 10º na prova do monobob (versão do bobsled com apenas o piloto no trenó) e Eduardo Strapasson, no skeleton, também foi o 10º na prova masculina.

Lucas Koo também marcou o nome da história dos esportes de inverno do Brasil com a participação na patinação velocidade – pista curta. Foi a primeira vez em que o país esteve representado na modalidade em Jogos Olímpicos e o atleta conseguiu três semifinais e dois top-10, nos 1.000m e 500m, em três provas que disputou.

O Brasil também teve destaque importante fora das competições. Isso porque o paulista Dante Akira Uwai venceu o concurso de design das medalhas dos Jogos de Inverno da Juventude. Com isso, recebeu convite para acompanhar parte do evento in loco e, entre outras ações, teve um encontro com Tomas Bach, presidente do COI.