Carregando...

Melânia Luz

MODALIDADE

Atletismo

DATA E LOCAL DE NASCIMENTO

06/01/1928 | São Paulo, SP

JOGOS OLÍMPICOS

1948 |

CONQUISTAS

2

Medalhas de Prata

Sul-americano Santiago 1947 Sul-americano Lima 1948

1

Medalhas de Bronze

Sul-americano Santiago 1947

Biografia

Primeira negra a representar o Brasil nos Jogos Olímpicos

Em 1948, os Jogos Olímpicos finalmente voltariam a acontecer após 12 anos. O mundo ainda se reconstruia após a Segunda Guerra Mundial, e o evento era mais um símbolo dessa retomada.  Para competir em Londres, o Brasil montou uma delegação com 81 atletas, sendo 11 deles mulheres, cinco a mais do que na edição anterior, em Berlim 1936. Além de voltar a competir, os brasileiros estavam empolgados com a primeira viagem de avião da equipe. Até então, os atletas chegavam à Europa para o maior evento esportivo do planeta de navio.

Em meio a esse frenesi, um feito pioneiro passou despercebido na época e acabou sendo reconhecido e reverenciado à altura apenas décadas depois. Entre as esportistas brasileiras que embarcaram no voo da PanAir para o Reino Unido estava a corredora Melânia Luz, a primeira mulher negra a representar o Brasil em Jogos Olímpicos.

"Só comecei a entender o tamanho do feito de minha avó quando canais de TV passaram a procurá-la para entrevistas. Até uns 20 anos atrás, eu não tinha ideia. Sabia que ela era muito querida e respeitada. Todo mundo adorava minha avó. Mas só fui entender a importância da ida dela aos Jogos Olímpicos depois de muito tempo", revela o neto Thiago dos Santos Mariano Pires.



Início por acaso e a paixão pelo São Paulo

Melânia nasceu em São Paulo, no bairro do Bom Retiro. A data do nascimento foi 17 de maio de 1928, mas o registro do bebê aconteceu apenas em 1º de junho, deixando-a com duas datas para comemorar o aniversário. Os pais, Maria Aparecida da Luz e João Batista da Luz, uma dona de casa e um policial militar, eram torcedores do São Paulo e passaram a paixão para a filha. 

Melânia cresceu no bairro do Canindé, onde, à época, ficavam a sede social e um centro de treinamento do clube paulistano. Um dia, foi assistir a uma competição de atletismo no São Paulo e recebeu o convite para começar a treinar. Aceitou e ficou. "Ela começou como amadora no São Paulo. Minha mãe sempre trabalhou, então durante muito tempo conciliava treino com trabalho", conta a filha Maria Emília. 

No clube, a corredora foi treinar com o alemão Dietrich Gerner, treinador de Adhemar Ferreira da Silva, que se tornaria o primeiro bicampeão olímpico do Brasil e grande amigo da corredora –as duas estrelas douradas no escudo do São Paulo são em homenagem às medalhas de ouro de Adhemar. Foi no São Paulo também que ela estreitou ainda mais os laços com Wanda dos Santos, atleta olímpica dos Jogos Helsinque 1952 e Roma 1960. Wanda deixou o Palmeiras para treinar no tricolor a convite da amiga. As duas sofriam nos treinos do técnico alemão.

"Você não podia ficar brincando, não. Ele falava: “Não estou aqui para brincar com vocês. Estamos aqui para treinar, vocês têm um campeonato, vocês têm que treinar”, relembra Wanda em entrevista ao Globoesporte.com. “Nós num guenta, Melânia, como nós vamos aguentar?”, questionava Wanda, exausta. 

Mais tarde, Wanda de tornou madrinha de Maria Emília, filha de Melânia. Apenas o futebol dividia as amigas. "Minha mãe contava que uma vez foi assistir a um jogo entre São Paulo e Corinthians com a Wanda. Ela, são-paulina roxa, e minha madrinha, corintiana. O Corinthians fez gol, minha mãe ficou nervosa, deu uma guarda-chuvada na cabeça da Wanda e foi embora. Deixou minha madrinha lá no Morumbi", diverte-se Maria Emília.