Brasil fecha Grand Slam de Baku com ouro de Stefannie Koyama

Ligeiro de 21 anos conquista primeira medalha com a seleção principal

Divulgação/IJF
14/03/2017 14:47

O judô brasileiro terminou o Grand Slam de Baku com uma medalha de ouro, conquistada na sexta-feira, dia 10, pela ligeiro Stefannie Koyama. Com apenas 21 anos, a brasileira derrotou a sérvia Milica Nicolic e garantiu a sua primeira medalha defendendo as cores do Brasil. Filha de mãe brasileira e pai japonês, a atleta nasceu na cidade de Gunma, no Japão, e chegou a disputar uma competição pela seleção japonesa. No Azerbaijão, conquistou a medalha de forma categórica já que venceu suas três lutas antes da final – contra Aisha Gurbanli (AZE), Maryna Cherniak (UKR) e Taciana Lima (GBS) – por ippon. Na decisão, dois waza-aris sobre Nicolic.

"Fiz minha estreia em Grand Slam aqui em Baku e consegui conquistar o ouro. Estou muito feliz com essa medalha e agradeço a todos que torceram por mim", disse Koyama.

O Brasil encerrou a participação em Baku no domingo, dia 12. A meio-pesado Samanta Soares foi a única a avançar às disputas por medalha, enfrentando Shiori Yoshimura, do Japão, na decisão pelo bronze e acabando em quinto lugar depois de levar três punições. Ouro no Aberto de Praga, Samanta manteve o bom ritmo e estreou em Baku com vitória por wazari e ippon contra Mehriban Imamzada, do Azerbaijão. Nas quartas, contra a húngara Abigel Joo, levou três punições (desclassificação) e foi para a repescagem, onde superou Naranjargal Tsend-Ayush, da Mongólia, por ippon, para avançar à disputa do bronze. 

Os pesados Rafael Baby Silva e Camila Yamakawa também chegaram à repescagem de suas categorias, mas foram derrotados, terminando em sétimo lugar. Baby, que já estreava nas quartas, acabou sendo superado por Guram Tushishvili, da Geórgia, e por Duurenbayar Ulziibayar, da Mongólia. Camila, por outro lado, venceu nas oitavas a azeri Shams Hajiyeva, mas caiu para Larisa Ceric, da Bósnia e Herzegovina, nas quartas. Na repescagem, a brasileira levou três punições e não passou por Santa Pakenyte, da Lituânia.

Fonte: CBJ

TAGS: